fbpx
logo
logo
Loja de vinho quatro rodas, Winemove viaja pelo interior paulista

Loja de vinho quatro rodas, Winemove viaja pelo interior paulista

Uma van vermelha, personalizada e altamente instagramável passou a compor a paisagem de São José dos Campos, município do interior de São Paulo, a menos de duas horas de Campinas. Trata-se da Winemove, adega em formato de truck que viaja pela cidade e arredores, e propõe uma nova experiência sensorial para o consumo de vinhos, combinando elegância e praticidade.

 

Foto Divulgação Paolo Faroni e Rafael Martins, idealizadores da marca, apresentam a van da Winemove

 

“A inspiração nasceu durante uma viagem para o sul da França alguns anos atrás, esse modelo de enonegócios em quatro rodas é comum por lá”, conta Paolo Faroni, idealizador da marca e empresário no setor de vinhos há mais de 20 anos. Apostando na retomada do setor de eventos e no aquecimento do mercado vitivinícola – que, inclusive, vem crescendo desde o início da pandemia –, em julho de 2021 colocou o primeiro carro da Winemove nas ruas.

Com a proposta de desmistificar o consumo do vinho como um hábito elitizado, as harmonizações podem ser apreciadas em parques, shoppings, estacionamentos, condomínios, feiras e eventos sociais e corporativos. O funcionamento é parecido com o dos populares food trucks: “O cliente escolhe o que deseja e consome ali mesmo”.

Cada bar tem capacidade para abrigar, de uma vez, 200 garrafas de 24 rótulos diferentes, entre tintos, brancos, rosés e espumantes. Há opções de safras nacionais e importadas com preços a partir de R$ 49. Além de espaço para as bebidas, o veículo possui freezer compacto para armazenar petiscos, forno para pratos quentes e uma máquina climatizadora, que permite o consumo do vinho em taças sem prejudicar a qualidade do produto. Dentre as delícias gastronômicas que podem ser degustadas nos arredores da van, estão quatro variedades de tábuas de frios e empanadas de sabores sortidos.

Sempre em movimento, o wine bar já fez paradas em Taubaté e São Paulo, e o plano é rodar todo o interior nos próximos meses. “Nós viajamos entre os municípios e informamos nossa localização do dia nas redes sociais”, explica. Para cada pit-stop, a carta de vinhos é escolhida a dedo pelo sócio e sommelier Rafael Martins, levando em conta o tipo de evento, o perfil dos consumidores, possíveis gostos e sazonalidades.

O sucesso já rende frutos e os planos de expansão da marca incluem a abertura de franquias. “A partir de fevereiro de 2022 pretendemos expandir o número de caminhões em algumas centenas, espalhadas por todo o país”. Além de gerenciar as vendas físicas no bar, os franqueados terão acesso a workshops e confrarias, e contarão com suporte contínuo de sommeliers. O valor estimado para investimento inicial é de R$ 305 mil e é possível preencher um pré-cadastro de interesse no site www.winemove.com.br.

 

Foto Divulgação

 

Focados em inovação e custo-benefício, produtos Nokia estão de volta ao mercado brasileiro

Focados em inovação e custo-benefício, produtos Nokia estão de volta ao mercado brasileiro

Para quem viveu os anos 2000, é impossível esquecer da popularidade dos celulares Nokia – acompanhados do jogo da cobrinha e de ringtones clássicos. Entre diversas referências na cultura pop e uma eterna nostalgia de um mundo sem internet móvel, os fãs da marca já estavam ansiosos pela volta dos aparelhos ao país.

Em 2020, a HMD Global anunciou que os smartphones Nokia seriam vendidos novamente no Brasil trazendo especificações premium e a interface Android pura – diferenciais no mercado local. “Entramos no mercado brasileiro ano passado e já temos onze produtos disponíveis: oito smartphones, dois fones e um telefone básico. Estamos felizes com a receptividade dos consumidores brasileiros com o retorno da Nokia para o país”, conta Junior Favaro, diretor de vendas e marketing da HMD Nokia no Brasil.

Foto divulgação – Oficina da Net

 

Mas não é apenas no consumidor final que a empresa está mirando no mercado brasileiro. Internacionalmente, a marca é reconhecida pela segurança, qualidade do software, resistência e portfólio recomendados para empresas – além de atualizar todos os modelos para as versões mais recentes do Android, independente da faixa de preço. Por exemplo, os recém-lançados Nokia C20 e Nokia C01 Plus já vêm com Android 11 (edição Go), o que oferece um desempenho 20% mais rápido – além das atualizações de segurança por dois anos.

No cenário atual, as empresas também estão buscando por soluções simples, fáceis de implementar e que possam auxiliar o acesso dos funcionários às ferramentas necessárias para o desemprenho de suas funções. A HMD Global lançou a sua própria ferramenta de gerenciamento de telefones corporativos (EMM) para IoT e uso corporativo: o HMD Enable Pro. “Hoje, entre 15 e 20% dos aparelhos corporativos são gerenciados com uma solução de EMM, e a demanda por ferramentas confiáveis vem aumentando”, diz Favaro.

Desde 2020, a HMD Global está indo além de ser um fornecedor de hardware para se tornar uma empresa holística de serviços móveis. A solução HMD Connect Pro permite que as empresas obtenham chips em massa, simplifiquem suas operações em roaming e se beneficiem do console de gerenciamento centralizado. “O nosso compromisso é trabalhar muito para oferecer mais aos nossos consumidores e parceiros corporativos – trazendo uma experiência ainda mais completa a um preço acessível para todos”, finaliza. Em entrevista, o executivo fala sobre a volta dos produtos Nokia ao país e os planos da empresa para o futuro.

Quando exatamente recomeçou a comercialização de smartphones Nokia no Brasil pela HMD?

Entramos oficialmente no mercado brasileiro em maio de 2020, com o lançamento do Nokia 2.3, primeiro smartphone da marca a ser comercializado no país. Estamos felizes com a receptividade dos consumidores brasileiros com o retorno da Nokia para o país. Os telefones Nokia têm recebido, historicamente, respostas fantásticas dos fãs do país, e a marca ainda é reconhecida como uma das melhores em qualidade na indústria.

Como a HMD Global enxerga esse cenário B2B como uma empresa recém-chegada ao mercado brasileiro?

Desde a fundação da HMD Global no final de 2016, falamos do reconhecimento da Nokia como sinônimo de qualidade, segurança e confiabilidade – valores que fazem parte do nosso patrimônio. Isso, somado ao nosso objetivo de contribuir para a democratização da tecnologia, trazendo equipamentos da mais alta qualidade e a preços acessíveis, faz com que a transferência de todos esses benefícios aos nossos clientes seja feita de forma natural, acompanhando e ajudando a enfrentar os desafios que a nova realidade lhes apresenta.

O Brasil e outros países estão em busca de tecnologia de rede 5G. Quantas oportunidades existem para smartphones Nokia nesse contexto?

Em todo mundo, estamos muito empolgados em oferecer aos fãs de telefones Nokia um novo telefone 5G. Vemos uma oportunidade específica para levar o 5G a um segmento mais acessível e estamos trabalhando em estreita colaboração com nossos parceiros para garantir que quando o país estiver pronto para o 5G, nós também estaremos. Em breve, lançaremos um smartphone com conexão 5G mais cessível do que os já disponíveis no mercado.

Novo projeto da Enel Brasil, Urban Futurability promete transformar bairro paulista em laboratório de soluções tecnológicas

Novo projeto da Enel Brasil, Urban Futurability promete transformar bairro paulista em laboratório de soluções tecnológicas

Urban Futurability, um projeto de transformação da rede elétrica promete tornar a Vila Olímpia, bairro da zona sul de São Paulo e um dos principais centros corporativos do Brasil, em um laboratório de mais de 40 iniciativas de digitalização e inteligência artificial, inéditas na América do Sul.

O Urban Futurability, da Enel Brasil – em parceria com as autoridades governamentais locais e a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) –, contempla a criação de uma réplica digital tridimensional da rede elétrica do bairro e a instalação de aproximadamente 4.900 sensores, que coletarão dados sobre as condições da rede.

 

Foto Divulgação

 

“A coleta e o compartilhamento dessas informações podem contribuir com a redução e a utilização mais racional do consumo de energia, e serão percebidas pelos negócios e moradores da região”, explica Gino Celentano, Head de Infraestrutura e Redes da Enel Brasil. A expectativa é que esses dados passem a ser obtidos de uma forma otimizada, o que levará a uma redução de custos. “Isso permite que empresários e interessados de forma geral os transformem em novos serviços e novas soluções.”

Dentre as propostas com reflexo aos cidadãos, um exemplo é a iluminação da ciclovia da Marginal do Rio Pinheiros, uma iniciativa público-privado que resultou na implantação de sistemas de telegestão da iluminação pública, por meio da instalação de lâmpadas em LED, trazendo mais segurança para os ciclistas que frequentam o local. “O objetivo é transformar o espaço em uma ciclovia inteligente no futuro, disponibilizando Wi-fi, câmeras e sensores inteligentes.”

Também é esperado que a digitalização permita uma redução gradativa de visitas das equipes de manutenção na Vila Olímpia, além de impactar de forma positiva a mobilidade urbana. “Na região do Urban Futurability serão testadas iniciativas com foco em veículos elétricos. A expectativa é de que até o início de 2023 todas as resoluções inicialmente planejadas estejam aplicadas.”

Decifrando rótulos de vinho: dicas e informações para você não errar na compra

Decifrando rótulos de vinho: dicas e informações para você não errar na compra

Recebo diversas perguntas de leitores que querem saber mais detalhes a respeito de vinhos e, muitas vezes, não sabem onde encontrar informações corretas e bem embasadas. Com grande prazer respondo aqui as dúvidas mais comuns e, quem sabe, algumas delas te ajudem na próxima escolha nas adegas e nos mercados!

 

 

O que é Vinho Reservado?
Eu brinco que o vinho é reservado para o desinformado… pois ele não tem atributo algum além do apelo de comunicação simplesmente genial que a Concha y Toro resolveu implementar em seus rótulos de entrada. Sabendo que o consumidor brasileiro pouco conhece sobre vinhos, a marca resolveu cunhar o termo “Reservado” e foi um sucesso. Entre um vinho comum que não traz destaque no rótulo e outro “Reservado”, o cliente fica com o “Reservado”, mas não há característica extra de qualidade. Hoje, outras marcas usam o mesmo apelo comercial.

O que torna um vinho encorpado?
Costuma-se chamar de “encorpado” um vinho com mais peso. Se colocarmos um gole de água na boca e uma colher com azeite depois, percebemos pesos totalmente diferentes, com o vinho acontece o mesmo. Um vinho com teor alcoólico alto, acidez alta e taninos bem presentes faz um conjunto de peso maior, o que o torna encorpado. Um bom teste é você comparar um Sauvignon Blanc com um Chardonnay, verá que o Chardonnay é mais encorpado. Isso também acontece com um Cabernet Sauvignon e um Pinot Noir, o Pinot Noir é menos encorpado.

O que é tanino?
Os taninos estão presentes nas uvas em seus engaços (armação do cacho da uva), em suas sementes e em sua pele. Normalmente não se quebram as sementes e nem se usam os engaços na fermentação, pois podem amargar o vinho. Assim extraem-se os taninos das peles das uvas que, inclusive, trazem inúmeros componentes benéficos a nossa saúde, especialmente o resveratrol. Para perceber os taninos, basta reparar que ele dá uma sensação de secura na boca, parece até enrugar nossos lábios internamente. Isso acontece com vinhos novos de taninos ainda muito presentes e nano polimerizados, que procuram por proteína e, se não temos alimento na boca, absorvem a proteína da nossa saliva, provocando essa sensação. Por essa razão, um alimento acompanhado de um vinho harmoniza melhor, deixando a refeição mais prazerosa.

O que torna um vinho ácido?
A acidez no vinho é sua coluna vertebral, percebe-se claramente um vinho com alta acidez ao colocarmos um gole na boca: salivarmos, é a reação natural do nosso organismo. A acidez é o que garante um bom futuro a esse vinho, aliada a bons taninos. Um vinho com boa acidez costuma ser um vinho gastronômico. No caso de brancos, por exemplo, acompanham bem as frituras e podem fazer o papel do limão em um peixe grelhado. Nos tintos, a acidez é fundamental para as harmonizações, é o caso dos Chianti, que fazem excelente companhia para massas com molhos de tomate.