Peças feitas à mão valorizam a cultura e os designers locais e se destacam no mercado da moda global

Peças feitas à mão valorizam a cultura e os designers locais e se destacam no mercado da moda global

As marcas que trazem suas raízes em seu DNA são as que mais têm se destacado no cenário da moda nacional e internacional

Um dos movimentos mais interessantes a surgir na moda brasileira pós-pandemia é a ascensão de marcas e estilistas que colocam a brasilidade como principal identidade de estilo, seja pela temática ou pelo uso de manualidades ancestrais como crochê, rendas, bordados e cestaria.

A pandemia certamente atuou como aceleradora desse movimento de “olhar para dentro”, fazendo com que consumidores acostumados a viajar para o exterior para compras e diversão tivessem de satisfazer seus desejos no próprio país. No cenário global, ainda evidenciou o feito à mão, sobretudo no mercado de luxo, sendo uma resposta à homogeneização da produção em massa impressa pelo fast fashion.

 

Bolsa da Catarina Mina – foto divulgação

 

Essa valorização do handmade não se limitou apenas ao exímio trabalho de couro de maisons francesas como Hermès ou Louis Vuitton. Engloba também o trabalho têxtil da Colômbia, a cestaria africana e, claro, o crochê e as rendas do Nordeste do Brasil.

Nota-se também um desejo crescente na população em consumir histórias, e não somente peças de roupa. Marcas autorais, cujos estilistas possuem raízes no interior, têm sido especialmente bem-sucedidas nesse quesito e tornaram-se foco dentro do Nordestesse – em uma proposta de impulsionar esses criadores que reforçam a cultura nacional.

Fundamos o hub que cresce de maneira colaborativa junto aos designers para que as raízes de nossa terra sejam resgatadas, evidenciadas e valorizadas.

 

Camisa Imbira, da marca Foz – foto divulgação

 

Marcas nordestinas se saem muito bem, uma vez que a região foi o ponto de convergência entre europeus, povos originários e negros, formando o berço da nossa nação. Além de boa parte dos nossos saberes manuais ancestrais terem nascido no Nordeste, eles se mantiveram razoavelmente intactos porque a região não foi tão beneficiada pelo processo de industrialização, mantendo a população dependente de seus talentos manuais como forma de sustento.

As marcas que trazem suas raízes em seu DNA são as que mais têm se destacado no cenário da moda nacional – como a alagoana Foz e a cearense Catarina Mina, que debutou este ano no SPFW.

São marcas que abraçam o regional criando produtos de interesse global, sobretudo para os consumidores de alta renda, que podem se dar ao luxo de priorizar em seu guarda-roupa o feito à mão.

 

Daniela Falcão, fundadora da Nordestesse – foto Bruna Guerra

 

*Daniela Falcão é jornalista e fundadora da plataforma Nordestesse.

Punta del Este oferece ótimos roteiros de enoturismo que unem vinho e arte à gastronomia típica

Punta del Este oferece ótimos roteiros de enoturismo que unem vinho e arte à gastronomia típica

Cidade uruguaia de Punta del Este possibilita passeios por pequenas vinícolas e ainda apresenta museus que inserem obras na encantadora natureza local

Os brasileiros estão familiarizados com roteiros de enoturismo espelhados pela Argentina. De Mendoza a Salta, passando por restaurantes e hotéis especiais em Buenos Aires, as indicações se multiplicam ano após ano. Já o Uruguai reserva vinícolas menores em sua maioria e se mantém como destino versátil e pouco explorado em sua diversidade, unindo vinho e arte à gastronomia típica.

Punta del Este surpreende aqueles que esperam apenas praias, cassinos e compras em lojas grifadas. A cidade litorânea, conhecida por seu balneário com prédios elevados e enormes varandas, apresenta também roteiros por vinícolas em seu entorno, destacando menus harmonizados e museus próximos. O hotel Enjoy Punta del Este Casino & Resort lançou neste ano o projeto Punta Wine Trips, com a proposta de unir a arte da produção de vinhos uruguaios de alta qualidade ao mundo da gastronomia, proporcionando uma imersão na cultura local.

Os roteiros de cinco ou sete dias, com a possibilidade de inclusão de aéreo com voos diretos para Punta del Este, partindo do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, contam com visita guiada pela Bodega Alto de la Ballena – uma vinícola boutique e familiar, e uma das pioneiras na região. As uvas ali produzidas atingem um ótimo nível de maturação e expressam um interessante terroir, já que o território combina influências do sol, mar e montanhas.

 

Experiência na Bodega Alto de la Ballena – foto divulgação

 

Na vinícola, é possível contemplar a paisagem dos vinhedos em contraste com o Cerro Pan de Azúcar (Morro Pão de Açúcar) – com proporções reduzidas se comparadas ao irmão carioca, mas ainda assim impressionante. O passeio destaca a degustação de cinco vinhos reserva e alta gama, como o Tannat, típico do Uruguai, acompanhado de pães, queijos e charcutaria artesanal.

No itinerário está também a Bodega Garzón – a vinícola local com maior extensão e com estrutura mais robusta para receptivo – e uma das melhores do mundo pela Wine Star Award. A visita com tour explicativo sobre terroir e cepas ressalta a degustação de vinhos exclusivos e destaca pratos especialmente harmonizados com azeite de oliva extravirgem das Colinas de Garzón, a 60 km de distância de Punta, e almoço com menu desenvolvido pelo chef Francis Mallmann.

Para completar, os participantes do Punta Wine Trips podem experimentar um almoço no restaurante Las Espinas, da Bodega Bouza. Localizado a 200 metros acima do nível do mar e com uma visão panorâmica 360 graus da cidade, o refúgio oferece um cardápio com sabores especiais da culinária uruguaia. O enxuto menu evidencia empanadas, salada de lagosta, caviar e carpaccio de lombo nas entradas. Já os pratos principais na brasa destacam costela de cordeiro e opções de cortes dry-aged.

 

Ambiente agradável do Las Espinas – foto divulgação

 

Celeiro da arte

Equilibrando os goles e as garfadas com passeios artísticos, Punta del Este reúne uma seleção especial de museus. É sempre valioso destacar a Casapueblo – museu que materializa a obra do pintor e escultor uruguaio Carlos Páez Villaró. A apenas 15 minutos do centro de Punta, a casa branca construída com pedras em um costão levou 36 anos para ser erguida e é um cartão-postal da região. O local lembra a arquitetura das ilhas gregas, mas a inspiração do artista foi mesmo a casinha do pássaro Forneiro, conhecido como João de Barro aqui no Brasil.

 

Obras da Casapueblo – foto Shutterstock

 

Por lá, deve-se visitar o ateliê de Villaró, as salas que expõem e vendem obras e ainda ir a um pequeno cinema que mostra a história do artista. Todos os dias, no final de tarde, acontece a Cerimônia do Sol, quando é recitado o belo poema que ele escreveu em homenagem à estrela e à natureza. Nessa casa-escultura funciona também um restaurante, onde é agradável estender o passeio e apreciar a vista na companhia de uma taça de espumante ou vinho.

Outro reduto artístico impactante é o Museo de Arte Contemporáneo Atchugarry (Maca), inaugurado em 2022. O lugar reúne cinco salas de exposições, um teatro, um auditório e um gigantesco parque de esculturas – muitas do escultor Pablo Atchugarry, que é o artista uruguaio à frente da fundação que construiu o espaço.

 

Vista aérea do Museu de Arte Contemporáneo Atchugarry – foto divulgação

 

O museu é extenso, com 40 hectares, e mistura experiências internas e externas. É possível agendar visitas guiadas em carrinhos de golf e ainda contemplar os dois lagos e a vista dos morros ao redor.

O local abriga em seu acervo diversos artistas latino-americanos, como o brasileiro Vik Muniz, e possui entrada gratuita. Como está a 20 km do centro de Punta, é recomendável marcar a visita com os concierges dos hotéis, uma vez que os carros por aplicativo cobram altos valores e não estão distribuídos por toda a cidade.

Descanso merecido

Em Punta del Este as distâncias são curtas e a segurança é perceptível. É comum tomar banho de mar e deixar os pertences na areia sem preocupação, além de caminhar para bares e restaurantes tranquilamente, mesmo tarde da noite. Com vista para a Praia Mansa, mas a apenas 15 minutos da Praia Brava – onde está a conhecida escultura La Mano – o Enjoy Punta del Este Casino & Resort é opção de hospedagem bem localizada e dispõe de atrações para diferentes idades e propósitos.

 

Passarela na Praia Mansa – foto iStockphoto

 

O hotel apresenta diversos restaurantes, como o buffet de café da manhã e culinária internacional no Las Brisas, e o Blend Bar – restaurante descontraído dentro do casino do Enjoy. Mas os destaques ficam para o Provence, que oferece um ambiente mais sofisticado, uma adega cilíndrica com vinhos da região e do mundo, um menu de tapas e uma extensa carta de coquetéis. E ao Ovo Beach – beach club instalado na Praia Mansa – que disponibiliza um cardápio em que se combinam técnicas e texturas das culturas peruana e japonesa. O local recebe ainda DJs para festas ao pôr do sol.

O Enjoy Punta conta também com spa, com sauna seca, área de relaxamento com hidromassagem e salas de massagem, academia, duas piscinas, jacuzzi e salão de beleza. Às crianças, há o Kids Club, com profissionais de recreação que desenvolvem atividades, incluindo jogos ao ar livre nas dependências do hotel.

 

Piscina do Enjoy Punta del Este – foto Daniel Coccolo

 

Para experimentar os rótulos locais, contemplar as paisagens e a natureza do entorno da cidade, e provar as delícias gastronômicas uruguaias, os interessados no projeto Punta Wine Trips devem se atentar às datas dos passeios, que são entre abril e outubro, e estão sujeitos à disponibilidade. Os valores começam em US$ 949 por pessoa apenas para o programa terrestre, para quatro noites de hospedagem.

Enjoy Punta del Este Casino & Resort
Parada 4, Playa Mansa, Rb. Dr. Claudio Williman, Punta del Este,
Departamento de Maldonado, Uruguai.
Tel 11 3709-0000.
Diárias a partir de R$ 617.

* A jornalista viajou a convite do Enjoy Punta del Este Casino & Resort.

Madonna, a rainha do pop, encerra sua ‘Celebration Tour’ nas areias de Copacabana, no Rio

Madonna, a rainha do pop, encerra sua ‘Celebration Tour’ nas areias de Copacabana, no Rio

Show de Madonna deve reunir mais de 1 milhão de pessoas na praia de Copacabana, em uma megafesta recheada de hits dançantes, efeitos visuais impactantes e muita emoção

Dia 4 de maio Madonna chacoalha as areias de Copacabana com o show de encerramento de sua épica e aguardada “Celebration Tour”. O evento foi dimensionado para reunir mais de 1 milhão de pessoas neste que é um dos cenários mais bonitos e icônicos do mundo. A apresentação é um agradecimento aos fãs pelo amor e carinho que ela recebeu ao longo de suas quatro décadas de música. A praia vai ser transformada na maior pista de dança do mundo!

O show traz 16 telões e oito duplas de torres de retorno de som, com imagens espalhadas na areia até a Avenida Princesa Isabel. A turnê, que começou em outubro de 2023, já passou por 14 países e é mais uma prova da inovação e do impacto que a Rainha do Pop causa na cultura e no comportamento de várias gerações, no mundo todo. A festa terá como convidado Bob the Drag Queen, também conhecido como Caldwell Tidicue, como vem acontecendo desde o início da turnê.

 

foto divulgação

 

A festa “The Celebration Tour in Rio” é uma produção da Bonus Track (que tem como sócios Luiz Oscar e Luiz Guilherme Niemeyer) em parceria com a Live Nation. O concerto é apresentado pelo banco Itaú, com patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro, do Governo do Estado do Rio de Janeiro e das cervejas Heineken. Conforme publicado no Diário Oficial do Município, a Prefeitura investiu R$ 10 milhões na realização desse megaevento.

Será o maior show da carreira da Madonna, que vai embolsar um cachê estimado em US$ 3 milhões. A apresentação terá início às 21h45, com transmissão ao vivo na TV Globo, no canal Multishow e na plataforma de streaming Globoplay.

Filme “Aumenta Que É Rock’n’Roll” conta a história da Rádio Fluminense, a primeira dedicada ao rock

Filme “Aumenta Que É Rock’n’Roll” conta a história da Rádio Fluminense, a primeira dedicada ao rock

A Rádio Fluminense, dedicada ao rock, foi uma das pioneiras contra a caretice vigente nos anos posteriores ao fim da Ditadura Militar

“Aumenta Que É Rock’N Roll”, longa dirigido por Tomás Portella e protagonizado por Johnny Massaro, chega aos cinemas no dia 25 de abril. O filme narra o surgimento da Rádio Fluminense FM, criada em 1982 pelo jornalista Luiz Antonio Mello (Massaro), com o apoio do amigo Samuel Wainer Filho (George Sauma). O roteiro é baseado no livro “A Onda Maldita”, escrito por Luiz Antonio Mello. A trama acompanha o dia a dia de um grupo de jovens sonhadores – produtores, repórteres e locutores – que toparam ir contra a caretice que ditava o padrão das rádios da época e deram origem à primeira rádio brasileira dedicada exclusivamente ao rock. Em uma das cenas mais icônicas, tendo como cenário o Rock in Rio de 1985, Luiz Antônio e sua amada Alice (Marina Provenzzano) selam seus destinos ao som de Cazuza, à frente do Barão Vermelho.

“Aumenta Que É Rock’n’Roll” revela a euforia vivida durante a redemocratização do país, quando o rock nacional invadiu as ruas e as vitrolas trazendo muito mais do que boa música, mas incendiando os costumes e revolucionando o jeito de se vestir, pensar, dançar e se expressar.

 

Johnny Massaro em cena do filme – foto divulgação