Colônia do Sacramento preserva construções históricas, reinventa sua gastronomia e apresenta novas experiências na reabertura

Colônia do Sacramento preserva construções históricas, reinventa sua gastronomia e apresenta novas experiências na reabertura

Quem caminha pelas estreitas ruas do centro histórico de Colônia do Sacramento tem certeza de que está revivendo o passado de uma das cidades mais turísticas do Uruguai. Os raios de sol batendo no piso de pedras, as lamparinas amareladas, as construções antigas com paredes desgastadas e os plátanos que abraçam as ruas são cenários que parecem obra de arte. Embora mantenha viva sua história, o local decidiu não ficar parado – no tempo e está em plena evolução para um turismo voltado para a enogastronomia e as experiências exclusivas.

É por causa desse movimento que é fácil circular pelas ruas e encontrar hospedagens e restaurantes cada vez mais charmosos, além de um clima sem pressa para passear. Afinal, à beira do Rio da Prata e em uma das mais belas cidades uruguaias, por que precisamos correr?

É com passos lentos e olhar atento que se deve percorrer Colônia. A cidade, fundada por portugueses no século 17 e disputada por espanhóis e lusitanos, faz vizinhança com o Rio da Prata e é um saboroso refúgio especialmente para quem vem de passeios a partir de Montevidéu (a 180km) ou de Buenos Aires (a 100km).

 

Casa portuguesa no centro histórico de Colônia do Sacramento - Foto Anelise Zanoni

Casa portuguesa no centro histórico de Colônia do Sacramento – Foto Anelise Zanoni

 

No centro histórico, onde geralmente se inicia a jornada, estão muralhas que resistiram ao passado. O Portão de Campo é uma grande porta que dá as boas-vindas. É a partir dali que os visitantes seguem caminhando para pontos importantes como a Rua dos Suspiros, construída em cunha de pedra, o Farol e os museus.

Galerias de arte, lojas de artesanato e muitos bares e restaurantes surgem no caminho. No final da manhã, é comum o leve aroma de fumaça da lenha queimada. É o indicativo de que as parrillas estão aquecidas, esperando os assados.

De estilo moderno e gastronomia criativa, os bares e restaurantes reinventam a culinária do Uruguai e utilizam ingredientes locais em receitas ousadas. No Charco, bistrô à beira do rio, o cardápio é jovial e inclui tradicional provoleta, só que feita com queijo de cabra e coberta com molho de chutney de tomates. O clássico sanduíche chivito ganha lombo ao pão com ovo e recebe bacon crocante, mussarela, alface, tomate e batata cunha.

Em um passeio por Colônia do Sacramento, não fique apenas no centro histórico. Pelo contrário: ao afastar-se da rota turística, você descobre incríveis empreendimentos. O mais recente é a Plaza de Toros, reinaugurada em dezembro de 2021. O local foi construído em 1908 para receber touradas, que foram proibidas após a oitava festa toureira. Depois de ficar fechada e passar por um período de reformas, a praça recebeu nova estrutura e hoje recebe visitantes em visitas guiadas, que custam cerca de R$ 20 por pessoa.

 

Joias descobertas

A Comarca Las Liebres é um refúgio intimista. Em meio a um vasto jardim, um casarão envidraçado abriga um restaurante e um hotel com apenas duas suítes. A propriedade tem quartos com decoração leve e descontraída, espelhos com design único e banheira moderna. A hospedagem, com tarifas a partir de US$ 400, mantém uma linda biblioteca com projeção audiovisual de alta tecnologia e um terraço exclusivo com vista para Buenos Aires.

 

Vista do Comarca Las Liebres - Foto Las Liebres | divulgação

Vista do Comarca Las Liebres – Foto Las Liebres | divulgação

 

O restaurante é aberto ao público e comandado por Hugo Soca, chef que reivindicou a comida caseira como um manifesto cultural uruguaio. Os pratos são preparados com ingredientes naturais provenientes da horta orgânica da propriedade. É uma cozinha criativa, colorida e particularmente saborosa.

 

Pudim de leite do restaurante Las Liebres - Foto Fefo Bouvier

Pudim de leite do restaurante Las Liebres – Foto Fefo Bouvier

 

A poucos minutos dali e pertinho das praias, o Sheraton Colonia Golf & Resort é outro destaque. Mesmo em uma cidade tão turística, o hotel tem vida própria, especialmente porque mantém diversas opções de lazer. Com arquitetura moderna, o lugar fica no meio da natureza, cercado por campo de golfe e piscinas à beira da areia, que lembram uma praia. Restaurantes de gastronomia internacional complementam a experiência. Os quartos, com vista para os jardins, lembram que realmente é preciso tempo para aproveitar Colônia do Sacramento. As tarifas ali custam a partir de US$ 160.

 

Entre taças e lindas paisagens

A vocação para o enoturismo é evidente no Uruguai e tem se acentuado nos últimos anos. Em Colônia, a rota pelas vinícolas inclui 13 empreendimentos. A cerca de 30 minutos do centro está a Bodega Los Cerros de San Juan. Considerada a mais antiga vinícola uruguaia, fica em uma fazenda e mantém construções históricas datadas do século 19. A bodega tem visita guiada ao custo médio de R$ 40 por pessoa e inclui passeio pela área de produção e pela adega. Os almoços acontecem em um charmoso e antigo armazém que, aos finais de semana, incluem entrada, prato principal, sobremesa e dois vinhos ao custo médio de R$ 180 por pessoa.

 

Produção de vinhos da Bodega Los Cerros de San Juan - Foto Anelise Zanoni

Produção de vinhos da Bodega Los Cerros de San Juan – Foto Anelise Zanoni

 

Bem mais moderna e jovem, a Vinedos y Olivares Del Quintón traz no currículo a mistura de produção de vinhos e de azeite de oliva. No topo de uma colina, em um prédio de pedras, o empreendimento abriu para o turismo em 2020 e, atualmente, mantém 120 hectares de oliveiras e produz vinhos das uvas malbec e cabernet franc. As experiências geralmente incluem degustação de vinhos e azeites, acompanhados por pães e tábuas de frios. As visitas custam US$ 40 por pessoa.

 

Azeites da Vinedos y Olivares Del Quintón - Foto Anelise Zanoni

Azeites da Vinedos y Olivares Del Quintón – Foto Anelise Zanoni

 

Construída na Serra do Mar e com projeto sustentável, a Casa da Pedra é grande destaque para hospedagem na bucólica São Luiz do Paraitinga

Construída na Serra do Mar e com projeto sustentável, a Casa da Pedra é grande destaque para hospedagem na bucólica São Luiz do Paraitinga

A perfeita integração de um ambiente moderno com a natureza se encontra na Casa da Pedra, ou a “Caipira Modernista”, como a opção de hospedagem é conhecida no aplicativo Airbnb. Projetada pelo arquiteto Marcio Kogan, do studio mk27, a propriedade tem 6 hectares e estabelece uma forte relação com o distrito de Catuçaba, onde está localizada, em São Luiz do Paraitinga, a 175 km de São Paulo e a 235 km de Campinas.

 

Fachada - São Luiz do Paraitinga | Foto Divulgação

Fachada – São Luiz do Paraitinga | Foto Divulgação

 

Seus ventos, suas chuvas e o sol, que é abundante durante a maior parte do ano, formam a vista que cerca toda a construção. O projeto já recebeu prêmios de arquitetura, como a menção honrosa na categoria de Projetos Residenciais, no World Arquitecture Festival 2013, em Singapura, e a casa é a primeira sustentável 100% off-grid feita no Brasil – que funciona independente de energia elétrica. A propriedade é movida a energia solar e a água vem da serra.

 

Varanda com vista para natureza - São Luiz do Paraitinga | Foto Divulgação

Varanda com vista para natureza – São Luiz do Paraitinga | Foto Divulgação

 

A ideia dessa hospedagem, que acomoda confortavelmente oito pessoas (crianças e pets são bem-vindos), é fazer um detox digital. Não há TV nem aparelhos de alta tecnologia, e o wi-fi é fornecido apenas mediante pedido. O design de interiores é o grande destaque do local, como a banheira de cobre William Holland e as lareiras presentes em todos os quartos.

 

Banheira de cobre da Casa da Pedra Varanda – São Luiz do Paraitinga | Foto Divulgação

 

Passeios a cavalos, relaxamento no lago da casa e trilhas são opções de lazer na região. O Núcleo Santa Virgínia, do Parque Estadual Serra do Mar, fica a 45 minutos de carro dali e possui diversas cachoeiras para completar a imersão na natureza.

Instalado em uma praia praticamente deserta pertinho de Trancoso, o hotel Fasano leva à região o charme, a gastronomia apurada e os serviços de qualidade da rede paulistana

Instalado em uma praia praticamente deserta pertinho de Trancoso, o hotel Fasano leva à região o charme, a gastronomia apurada e os serviços de qualidade da rede paulistana

O mais novo empreendimento da rede Fasano é uma pérola encravada na praia de Itapororoca – uma faixa de areia branca emoldurada por um enorme coqueiral. Na maré baixa, piscinas com águas cristalinas se formam entre a orla e uma pequena barreira de arrecifes. Apesar de estar a apenas quatro quilômetros de Trancoso, o local é praticamente intocado e visitado por pouquíssima gente. Mesmo quando os 40 bangalôs do recém-inaugurado hotel estão ocupados, a praia continua sendo o lugar ideal para a prática do distanciamento social.

O empreendimento não interfere na paisagem – não existe nenhuma construção mais alta do que os coqueiros. Tudo foi projetado pelo arquiteto Isay Weinfeld, que privilegia os volumes e linhas horizontais. O terreno possui mais de 300 hectares, e o hotel ocupa menos de 5% da extensão total da propriedade, que em grande parte é uma área de proteção ambiental.

 

Piscina do Hotel Fasano Trancoso - Foto Daniel Pinheiro - Divulgação

Piscina do Hotel Fasano Trancoso – Foto Daniel Pinheiro – Divulgação

 

Ao redor das piscinas e ao longo de toda a faixa de 500 metros de frente para o mar, um deck de madeira com 9 mil m² liga o restaurante principal do hotel ao spa, onde são oferecidas terapias revigorantes e relaxantes, como o ritual Flor de Tiare, feito com um óleo trazido da Polinésia Francesa que atua na regeneração dos cabelos e da pele.

Os bangalôs são práticos, espaçosos e possuem equilibrado mix de sofisticação e rusticidade. A maioria tem um terraço privativo com chuveirão e espreguiçadeiras, para quem quiser tomar sol sem sair de sua área privativa.

Tudo isso tem um preço, mas aí está a surpresa agradável: as diárias e os preços nos restaurantes do hotel são bem razoáveis quando comparados aos do Quadrado de Trancoso, onde a moeda circulante é o su-real.

A diária para casal no Fasano começa na faixa dos R$ 2.470 – valor equivalente ao cobrado em pousadas de luxo da região, como a Etnia e a Casa Uxua. E uma porção para duas pessoas de moqueca de camarão – acompanhada de arroz, farofa e pirão – sai por “apenas” R$ 228. Esse é o valor que se paga por uma pizza no dolarizado Quadrado de Trancoso!

 

Hotel Fasano Trancoso - Moqueca Mista - Foto Credito Lipe Borges - Divulgação

Hotel Fasano Trancoso – Moqueca Mista – Foto Credito Lipe Borges – Divulgação

 

Mônaco: Além dos castelos e das corridas, o destino surpreende por passeios com foco na natureza e na alimentação orgânica

Mônaco: Além dos castelos e das corridas, o destino surpreende por passeios com foco na natureza e na alimentação orgânica

Para quem quer conhecer Mônaco para além dos castelos e das corridas, o destino surpreende por passeios com foco na natureza e na alimentação orgânica – mas claro, tudo com muito charme!

Se eu perguntar a você o que Mônaco tem de especial, tenho certeza de que o luxo, as curvas da Fórmula 1 e as histórias de príncipes e princesas surgirão na sua resposta. Mesmo que você nunca tenha viajado ao principado, esse é um local que habita o imaginário de muitos viajantes, porque sempre esteve nos holofotes.

Mônaco é uma escolha ímpar. Localizado no charmoso sul da França, o destino reúne os melhores hotéis do mundo, uma dezena de restaurantes com estrelas Michelin e atrações históricas, culturais e, claro, luxuosas. Só que o pequeno país também é eclético: a proximidade com a natureza e a consciência sobre o meio ambiente trouxe inspiração para projetos de sustentabilidade, que ganham cada vez mais evidência. Assim, o lugar aposta em propostas que transformam a viagem em uma experiência inteligente e acessível até mesmo para orçamentos mais modestos.

 

Foto MONTE CARLO SOCIÉTÉ DES BAINS DE MERMC | Bay Hotel & Resort

 

Um dos projetos de sucesso é a bicicleta elétrica Monabike, que pode ser alugada em diferentes pontos com tarifas a partir de 1 euro (por 30 minutos). Há 300 exemplares à disposição e, enquanto você pedala, ajuda a reduzir a emissão de gases e circula de forma fácil em rotas que incluem atrações turísticas. Há também a possibilidade de passear com carro elétrico. O Mobee é um serviço de compartilhamento no qual o automóvel é contratado por meio de um aplicativo e devolvido onde quiser. O aluguel custa a partir de 6,75 euros a hora e você pode, inclusive, percorrer a famosa curva da Fórmula 1, que fica no centro da cidade e é a mais lenta do Mundial. A bordo de um transporte sustentável se faz diversos passeios.

Em Larvotto Beach, por exemplo, está a única praia pública do principado. É claro que ela é super charmosa, com água clarinha e tem vista para parte da baía. Em Monaco-Ville, bairro mais antigo de Mônaco, e extremamente preservado, o La Condamine Market é uma feirinha de pequenos produtores locais que tem cerca de 20 pontos comerciais, com floristas e horticultores. O mercado abre diariamente, das 7h às 15h.

 

FOTO WHALE WATCHING MONACO | Observação de baleias e golfinhos

 

Nessa pegada orgânica, reserve também um tempinho para observar as diversas hortas de alimentos instaladas em modernos prédios de Monte Carlo. A ousada plantação faz parte do projeto sustentável Terrae, uma ação inteligente que desenha, desenvolve e mantém hortas no coração das cidades. Provavelmente, você encontrará muitos desses alimentos servidos nos restaurantes estrelados da região.

Para os apaixonados pela vida marinha, há duas interessantes atrações. Uma delas é a observação de baleias e golfinhos no passeio Whale Watching Monaco. A tripulação embarca rumo ao santuário de Pelagos, área protegida na costa da Riviera Francesa, e conhece baleias-piloto, golfinhos-grampo e baleias-comuns, que podem ser vistas a bordo das embarcações. E vale visitar o emblemático Museu Oceanográfico, que fica em meio a um rochedo e abriga mais de 6 mil espécies do fundo do mar.

 

Foto BVERGELY | Museu Oceanográfico

 

Indispensável e sempre impecável

Sempre vale a pena conhecer um pouco da história de Mônaco por meio das principais atrações turísticas. Além da curva da Fórmula 1, o Cassino de Monte Carlo é um clássico e um dos primeiros lugares que os turistas gostam de visitar. Localizado na Place du Casino, o prédio tem uma réplica em miniatura da Ópera Garnier e a cada temporada são encenados suntuosos espetáculos líricos. Para a diversão dos jogadores, há roleta francesa, baccarat, blackjack e poker.

DIRECTION DE LA COMMUNICATION | MICHAEL ALESI | Plage du Larvotto Juillet

DIRECTION DE LA COMMUNICATION | MICHAEL ALESI | Plage du Larvotto Juillet

 

 

O Palácio do Príncipe também merece atenção, mesmo que você queira conhecê-lo só do lado de fora. A construção é única em arquitetura e decoração, pois foi desenhada no século 16 e tem obras pintadas à mão. O Palácio é residência da família real, e está aberto de junho a outubro.

 

Foto BVERGELY | Vista da Place du Casino e do Cassino de Monte-Carlo

 

 

Os estrelados

Em Mônaco até o conceito de exclusividade vem acompanhado da palavra sustentabilidade. Mais de 2 mil quartos de hotéis têm o certificado internacional Green Globe e muitos restaurantes estrelados pelo Guia Michelin são abastecidos com legumes e verduras das hortas orgânicas do Terrae. No luxuoso Monte Carlo Bay Hotel & Resort, os visitantes se encantam pelo jardim. O hotel tem 4 hectares de área com cascatas, solários, piscina e uma lagoa turquesa. É perfeito para o descanso em família ou férias românticas, porque há suítes comuns até exclusivas com vista única (diárias a partir de 300 euros). Os amantes da gastronomia se surpreendem: o estrelado Blue Bay é especializado nas culinárias caribenha e mediterrânea.

Hôtel Hermitage - Facade © MONTE-CARLO Société des Bains de Mer

Hôtel Hermitage – Facade © MONTE-CARLO Société des Bains de Mer

 

Já o Hôtel Hermitage Monte-Carlo hospeda o restaurante Yannick Alléno. O local prepara receitas com ingredientes locais e sazonais, inspiradas na culinária mediterrânea. Além de atrair os hóspedes pelo estômago, o Hermitage é um dos hotéis mais elegantes da região. Tem estilo belle-époque e lembra um castelo. Na carta de mimos aos hóspedes estão tratamentos termais com água do mar, sauna e academia. As tarifas começam na faixa dos 440 euros.

Há ainda opções de hospedagem mais baratas. O moderno Novotel Monte-Carlo é inspirado na Riviera Francesa e fica próximo às principais atrações de Mônaco. É ideal para quem deseja ficar bem localizado. Tem restaurante, piscina ao ar livre e quartos espaçosos, com diárias que começam na casa dos 160 euros.

 

MONTE - CARLO SOCIÉTÊ DES BAINS DE MER | Restaurante Yannick Alléno

MONTE – CARLO SOCIÉTÊ DES BAINS DE MER | Restaurante Yannick Alléno

 

 

Rumo ao paraíso

A maneira mais fácil de chegar a Mônaco é a partir do aeroporto Nice Côte d’Azur International, na França. É possível sair de táxi ou carro elétrico rumo ao principado. Os trens também são opção e ligam Mônaco a diferentes cidades do sul da França e da costa italiana. Os passageiros desembarcam no centro da cidade.

Pousadas aconchegantes próximas a São Paulo para aproveitar neste feriado de Carnaval

Pousadas aconchegantes próximas a São Paulo para aproveitar neste feriado de Carnaval

Vamos aproveitar que ainda não vencemos a pandemia para curtir o Carnaval em refúgios próximos a São Paulo

Este vai ser o nosso segundo ano sem Carnaval. Quem tem sua casa no campo, na serra ou na praia já tem destino certo para aproveitar o feriado mais disputado do ano nas estradas paulistas, mas quem ainda não decidiu aonde ir e quer se isolar das ondas da Covid-19, pode se inspirar por aqui. Sugiro regiões serranas, onde o calor do verão é ameno, mas suficiente para curtir o dia em trilhas, cachoeiras ou piscinas.

Começo com São Francisco Xavier, na Serra da Mantiqueira, que é uma versão de Campos do Jordão sem agito e sem aglomerações, e dá total preferência ao sossego e à natureza. Fica a 150 km da capital, no município de São José dos Campos. Para se hospedar, indico a Pousada Serra do Luar, a Varanda da Mantiqueira, o Teto do Cafundó, o Chapéu de Palha e A Rosa e o Rei. Essas pousadas oferecem uma comida caseira bem honesta, o que se procura em um lugar como esse.

Outra pérola no mesmo estilo e na serra da Mantiqueira, mas em Minas Gerais, é a cidade de Gonçalves. A 210 km de São Paulo e a 1.350 metros de altitude, a vista encanta. Pela quantidade de araucárias, parece até que estamos na serra gaúcha.

Gostoso de dia e bem fresquinho à noite, esse é outro local ideal para quem gosta de caminhadas com direito a muitas cachoeiras. Pertinho do centro se encontra a Sete Quedas, que reúne as mais famosas.

Como as pousadas em geral estão no ponto mais alto, é comum poder olhar para os vales, principalmente de manhã, cobertos de nuvens. Além de lindo, dá a sensação de estarmos muito mais longe e mais isolados do que realmente estamos. Por ali, destaco o “birdwatching”. Os amantes dos pássaros contam com mais de 250 espécies de aves catalogadas para avistar! E o que não faltam são ateliês, artesanato e quitutes.

A culinária da região levanta uma bandeira orgânica em meio ao cardápio de comida mineira. São várias boas surpresas pela cidade, como o Sauá, dentro da pousada Bicho do Mato, e o Nó de Pinho, por sua vez na Solar d’Araucária. Não precisa estar hospedado para frequentar, ambos ficam abertos para o público e merecem a visita.

Essas duas pousadas fazem parte das minhas indicações de hospedagem no município, assim como a Casa Campestre, que acredito que seja a mais confortável, tanto que ganhou vários prêmios, como o da Traveller’s Choice.

Pousada Casa Campestre, em Gonçalves | Foto Divulgação

 

Para os amantes da mesa é obrigatória a parada no Geminus Gastroarte. Além de terem estagiado com Alex Atala, os chefs Fernando e Juliano Basile trabalharam em alguns restaurantes estrelados na Europa e oferecem menus degustação de 3, 5 e 7 etapas.

Qualquer um desses destinos irá tornar seu feriado tão tranquilo e gostoso, que você provavelmente não vai se lembrar que existiu alguma restrição ao Carnaval. Até!