Modernização aterrissa em Congonhas: o novo projeto de ampliação e modernização do aeroporto de São Paulo

Modernização aterrissa em Congonhas: o novo projeto de ampliação e modernização do aeroporto de São Paulo

Novo projeto para ampliação e maior eficiência do aeroporto de Congonhas prevê reformas imediatas, como reordenamento do raio-x, e conexão com metrô até 2025

Operadora de Congonhas desde outubro passado, a Aena Brasil apresentou o projeto para a ampliação e modernização do aeroporto de São Paulo, que receberá um novo terminal de passageiros com mais que o dobro do tamanho atual, novas pontes de embarque e diversas melhorias para a eficiência operacional, que devem acontecer nos próximos quatro anos. De acordo com as projeções, Congonhas passará a dispor também de 20 mil metros quadrados para áreas comerciais. 

 

Hangar e os portões de embarque do novo terminal do aeroporto de São Paulo – foto divulgação

 

Depois de implementadas as melhorias, com todos os pontos de parada de aeronaves preparados para receber aviões de maior capacidade, como o Airbus A321neo – que pode realizar voos internacionais –, o aeroporto poderá movimentar até 29,5 milhões de passageiros ao ano. Em 2023, foram 21,8 milhões, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Mais de R$ 2 bilhões serão aplicados em todas as reformas até 2028. “O Aeroporto de Congonhas é um patrimônio da cidade de São Paulo e do Brasil, com um papel importante para a conexão de toda a malha aérea nacional. Agora, vai passar por grandes alterações, tornando-se mais eficiente e oferecendo mais espaço e conforto aos passageiros”, reforça Santiago Yus, diretor-presidente da Aena Brasil. 

 

Pier de fila do novo terminal – foto divulgação

 

Entre as ações imediatas, a serem implementadas ainda em 2024, estão o reordenamento das vias e meios-fios, implantação de bolsão e praça pick-up com 72 vagas para embarque em carros de aplicativos, retrofit do sistema de ar-condicionado do terminal atual, reforma dos banheiros, reordenamento e ampliação do raio-x, revitalização da fachada e ampliação da sala de embarque remoto.

 

Meio-fio do novo terminal – foto divulgação

 

Ainda sem ligação direta por trem ou metrô, com a maioria dos passageiros se deslocando de carro, o congestionamento no entorno do aeroporto é intenso. Para aliviar o trânsito e integrar às melhorias, o governo do Estado de São Paulo afirma que pretende concluir até o fim de 2025 as obras da Linha 17-Ouro, que terá uma estação conectada ao aeroporto.

Outras mudanças

De acordo com a Aena Brasil, o projeto contempla a preservação, revitalização e integração das áreas tombadas pelo Patrimônio Histórico ao novo terminal. A área nova – posicionada onde hoje estão os hangares da Gol, ainda uma herança da Varig – será utilizada para o embarque dos passageiros, enquanto o terminal atual será todo destinado ao desembarque. Com a ampliação, Congonhas receberá também mais espaço comercial, que inclui novas lojas, salas VIP, além de locais para escritórios e salas empresariais. 

 

Saguão de check-in – foto divulgação

 

O terminal de embarque terá um novo salão de check-in com 72 posições, podendo chegar a 108, e novo píer com 36 metros de largura e 330 metros de comprimento. Serão 19 novas pontes de embarque, em substituição às 12 atuais, garantindo 70% ou mais dos embarques diretos às aeronaves. Além disso, haverá 10 portões de embarque remoto, 13 leitores automáticos de cartão de embarque e aumento de 10 para até 17 canais de inspeção. O projeto prevê ainda portões de embarque reversíveis, capazes de acomodar voos internacionais. 

A operadora também destaca a instalação de um novo sistema de processamento de bagagens, mais rápido e inteligente, com 10 carrosséis (são três atualmente), e o aumento de cinco para sete esteiras de restituição de bagagem. A segurança das operações será reforçada com o afastamento maior entre aeronaves e pistas, dentro da norma internacional, redução da circulação viária interna, com mais pontes de embarque e oferta de serviços nas posições de parada, e novas áreas de escape (RESAs) na pista auxiliar e adequação de sinalização e balizamento. 

 

Vista isométrica do novo terminal – foto divulgação

Azul movimenta o céu do Brasil com voos extras para o Norte e Nordeste em temporada festiva

Azul movimenta o céu do Brasil com voos extras para o Norte e Nordeste em temporada festiva

Em junho e julho, Azul terá voos extras para Parintins e para as cidades nordestinas onde rolam as maiores festas de São João do país

Depois de faturar com Madonna, a Azul vai criar voos sazonais para aproveitar duas grandes festas populares. Em junho e julho, durante os festejos de São João, a Azul ampliará em 70% sua oferta de voos e assentos para Campina Grande (na Paraíba) e Caruaru (Pernambuco). Haverá voos diários partindo do Rio de Janeiro (Galeão) e de Belo Horizonte (Confins) para Campina Grande. Já do Aeroporto Internacional de Recife, serão dois voos diários para Caruaru.

Já entre 26 de junho e 2 de julho, a empresa pretende operar 150 voos extras para Parintins, no Amazonas. A cidade recebe um dos maiores espetáculos folclóricos do Brasil, arrastando multidões para o Bumbódromo, como é chamada a arena onde ocorre o evento.

 

foto divulgação

Radar

Ski & Sky
A Sky Airline vai operar até 60 voos semanais entre Brasil e Chile durante a Temporada de Neve 2024, entre os meses de junho e setembro. Nesse período, a companhia aérea pretende transportar 240 mil passageiros entre Santiago e sete cidades brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Porto Alegre, Brasília, Salvador e Belo Horizonte). De Santiago, é fácil acessar as estações de esqui de Valle Nevado, Portillo, La Parva, Corralco e Chillán. A empresa aérea chilena é uma ‘low cost’ que tem passagens a preços bem interessantes.

Central do Brasil
Em 2023, 14,8 milhões de passageiros circularam pelo aeroporto Presidente Juscelino Kubitschek, de Brasília. Operado há mais de uma década pela Inframerica, o terminal é o 3° mais movimentado do país. Mas ele é o único do Brasil com ligação para todas as 26 capitais brasileiras.

Self service
Os passageiros da Latam agora podem fazer o despacho de suas próprias malas em Congonhas. O aeroporto é o 11º a contar com a tecnologia no país, já disponível em Brasília, Rio (Galeão), Guarulhos, Salvador, Natal, Porto Alegre, Florianópolis, Fortaleza, Belo Horizonte (Confins) e Vitória. Em 2023, 56% das bagagens de voos Latam foram despachadas pelos próprios clientes nesses terminais. Mais de 40 mil volumes por mês devem passar por esse sistema de auto-atendimento no aeroporto de Congonhas.

Boeing mergulha em nova crise enquanto Airbus decola

Boeing mergulha em nova crise enquanto Airbus decola

Europeia Airbus se consolida como maior fabricante de aviões para o transporte de passageiros enquanto a norte-americana Boeing se esforça para superar problemas com os Max 8 e Max 9. Problemas afetam também os planos de viajantes brasileiros

A Boeing é uma empresa norte-americana fundada em 1916 e que, durante décadas, assumiu o título de maior fabricante de aviões para o transporte de passageiros. Mas nos últimos anos, por causa de uma série de percalços, ela passou a vice do setor. É que a europeia Airbus, criada em 1970, simplesmente atropelou a rival com suas aeronaves eficientes, modernas e confiáveis.

Em 2023, a Airbus entregou 735 aeronaves e registrou uma carteira de encomendas de mais 8.600 aviões para o futuro. Já a Boeing fechou o ano passado com 528 entregas e 5.626 em sua carteira de pedidos.

O incidente em que um buraco se abriu na fuselagem de um Boeing 737 Max 9 da Alaska Airlines em pleno voo, dia 5 de janeiro, foi o mais recente de uma série de falhas de segurança da fabricante norte-americana.

 

foto divulgação

 

Por causa de outro defeito, dois 737 Max 8 se envolveram em acidentes fatais em 2018 e 2019 na África e no Sudeste Asiático. Isso fez com que centenas de Max 8 tivessem de ficar cerca de um ano aterrados até que o problema fosse solucionado, causando terríveis prejuízos a dezenas de empresas aéreas – como foi o caso da brasileira Gol.

Agora, com a proibição de voos dos Max 9, outras empresas estão vivendo momentos difíceis. Esse é o caso da panamenha Copa Airlines, que possui 29 aviões desse modelo. Por “sorte”, apenas 21 desses têm exatamente a mesma configuração daquele da Alaska Airlines, o que permite que os demais oito possam voar normalmente. Com isso, alguns dos cinco voos diários operados com Max 9 pela Copa entre São Paulo e a Cidade do Panamá vêm sendo substituídos pelo mais “antiguinho” 737-800 e outros têm sido cancelados, gerando transtornos para brasileiros em viagem pela América Central e pelo Caribe.

Radar

Retomada
Em 2023, o movimento no aeroporto de Congonhas somou 22,4 milhões de passageiros. Em 2019, o pico antes da pandemia, o total foi apenas 5% superior a isso. Em 2023, foram realizados 231,8 mil pousos e decolagens. O terminal atendeu 49 destinos, e o mais movimentado foi Rio de Janeiro-Santos Dumont (com 3,6 milhões de passageiros), seguido de Brasília (2,3 milhões), Porto Alegre (2,2 milhões), Belo Horizonte (1,9 milhão), Salvador (1,5 milhão).

Zap no ar
Desde 2022, todos os passageiros da Gol podem se manter conectados com familiares, amigos e colegas de trabalho a bordo, por meio de mensagens de texto sem custo. Agora esse benefício está restrito apenas aos clientes Smiles, programa de fidelidade da companhia aérea. É preciso ser cadastrado, mas o cadastro é gratuito. Só com ele dá para ter acesso a WhatsApp, Facebook Messenger, iMessenger e Viber. De graça, não é permitida a troca de fotos, vídeos e áudios.

Europa-Oceania
A Turkish Airlines é a empresa área com a maior cobertura global. Com uma frota de 436 aeronaves (de passageiros e de carga), ela opera voos para 345 destinos em todo o mundo, sendo 292 internacionais, em 129 países. A partir de março, o número de destinos vai subir para 346 e o de países para 130, com o início da operação dos três voos semanais ligando Istambul a Melbourne, na Austrália. A rota será feita com Boeings 787-9 Dreamliner.

Com a forte retomada dos voos internacionais, saiba quais companhias levam mais brasileiros ao exterior

Com a forte retomada dos voos internacionais, saiba quais companhias levam mais brasileiros ao exterior

Companhias como Latam, TAP, Aerolineas Argentinas e Copa Airlines ampliam seus voos internacionais, conectando cada vez mais o Brasil ao resto do mundo e transportando mais passageiros do que no período pré-pandemia

Em outubro do ano passado, a movimentação de passageiros no mercado internacional da aviação brasileira superou pela primeira vez os indicadores de movimento pré-pandemia. No mês, viajaram 1,9 milhão de passageiros, contra 1,8 milhão de passageiros em outubro de 2019. Os dados são da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

E quais foram as empresas que mais transportaram passageiros para o exterior? Considerando os doze meses entre novembro de 2022 e outubro de 2023, a líder é a Latam, que opera diariamente 50 voos internacionais, com 5,271 milhões de passageiros. Em seguida, vem a TAP, que voa de onze cidades brasileiras para Portugal, com 1,899 milhão de passageiros. Em terceiro lugar, aparece a Gol, que tem voos para destinos no Caribe e nas Américas do Norte e do Sul, com 1.300 mil passageiros. E, logo atrás, está a Azul, que leva brasileiros para as Américas e para a Europa, com 1.217 mil passageiros. O top 10 é completado, na ordem, por Air France-KLM, Copa Airlines, Aerolineas Argentinas, American Airlines, United Airlines e British Airways-Iberia.

 

foto divulgação

 

De janeiro a setembro, a TAP transportou mais de 1,6 milhão de pessoas entre o Brasil e Portugal – o equivalente a 97% do total de passageiros embarcados durante os doze meses de 2019. Apenas no mês de setembro, foram 1.318 voos entre capitais brasileiras e as cidades de Lisboa e Porto. A empresa é a líder na ligação entre o Brasil e a Europa e o nosso país é uma prioridade da aérea portuguesa. A propósito, a partir deste início de 2024, a TAP passa operar mais 11 voos semanais no Brasil, elevando o total de ligações para 91 por semana. Com essas novas frequências, a companhia supera o número de voos que tinha no período pré-pandemia.

Radar

Carnaval inacessível
Levantamento realizado em dezembro pela traveltech Onfly revelou que voar para os destinos mais procurados no Carnaval está bem mais caro. Um bilhete de ida e volta de São Paulo a Salvador agora está sendo orçado em R$ 4.812 – valor 233% superior ao de 2023 (R$ 1.444). Uma viagem de São Paulo a Recife, que em 2023 saía por R$ 1.456, agora está custando R$ 1.952, preço 36% superior. Ir e voltar de SP ao Rio está valendo R$ 1.426, contra R$ 1.066 no ano passado. Alta de 33,8%!

Calor & Frio
A Alaska Airlines adquiriu a Hawaiian Airlines por US$ 2 bilhões. O novo conglomerado aéreo soma 365 aeronaves dos modelos Airbus A321neo, A330ceo e Boeings 717, 737 e 787, voando para 138 destinos e transportando 54 milhões de passageiros por ano. Honolulu se tornará um hub da Alaska Airlines, possibilitando maior conectividade internacional para os viajantes da Costa Oeste na Ásia e no Pacífico.

Arretado
A Aena inaugurou em dezembro a ampliação e modernização do Aeroporto Internacional do Recife, que aumentou em 40% sua área edificada e elevou em 60% a sua capacidade operacional. O terminal ganhou quatro novas pontes de embarque, esteiras de bagagem automatizadas e novos carrosséis de devolução de bagagem. Hoje, o aeroporto se conecta com 39 destinos domésticos e cinco internacionais (Fort Lauderdale, Orlando, Lisboa, Montevidéu e Buenos Aires).

Arábia Saudita quer repetir o modelo de sucesso dos Emirados e do Catar com sua Riyadh Air

Arábia Saudita quer repetir o modelo de sucesso dos Emirados e do Catar com sua Riyadh Air

Com a criação de uma companhia aérea gigante, a Riyadh Air, e a construção de um hub intercontinental em Riad, a Arábia Saudita se prepara para entrar com força no bilionário setor dominado por Emirates, Etihad e Qatar Airways

A Arábia Saudita sempre foi um dos países mais fechados do mundo, limitando os contatos com o mundo exterior às questões relativas ao petróleo. Desde 2016, no entanto, vem sendo feita uma abertura, com incentivo ao turismo e um trabalho de “limpeza” da imagem do país – de hábitos conservadores e truculência contra dissidentes (como no caso do jornalista Jamal Kashoggi, sequestrado, esquartejado e derretido em ácido por criticar o príncipe Mohammed bin Salman).

Fazem parte dessa estratégia de “soft power” a turbinada na Liga de Futebol (que agora tem astros como Cristiano Ronaldo, Benzema, Kanté e Neymar), a promoção da Copa do Mundo de 2034 e da Feira Mundial Expo 2030 e a inserção no circuito da Fórmula 1 e no principal torneio mundial de golfe. Destinos como Al Ula e Amaala também vêm ocupando mais e mais espaço nos feeds de influencers do segmento de luxury travel.

 

Aeroporto de Riad – foto divulgação

 

Para dar conta desse fluxo todo e consolidar o país como mais um centro de conexões globais, o Fundo Soberano de Investimentos está injetando bilhões na criação de uma empresa aérea internacional, a Riyadh Air, que nem iniciou suas operações, mas já adquiriu 39 aeronaves wide body Boeing 787 Dreamliner e está contratando centenas de pilotos e comissários. Os primeiros voos estão programados para o começo de 2025.

O hub da empresa, como o nome anuncia, será em Riad, cujo aeroporto será remodelado para atender com todo conforto 120 milhões de passageiros por ano. Projetado pelo britânico Norman Foster (o arquiteto do fantástico aeroporto de Hong Kong), o terminal não terá “fingers” para embarque – os aviões é que vão enfiar seus bicos em abrigos onde estão os passageiros.

Em breve, Emirates, Etihad e Qatar Airways terão um forte concorrente nos ares. Os planos da Riyadh Air incluem mais de 100 rotas internacionais, com voos para os cinco continentes. São Paulo deve entrar nessa lista.

Radar

Pouso na Paulista
A United Airlines inaugurou em novembro uma loja física em São Paulo para receber quem prefere um atendimento mais personalizado. O espaço, com 225 metros quadrados, fica na Avenida Paulista, n° 777, e cada cliente é recebido por um consultor numa mesa individual. A área de espera conta com máquina de café Illy e tem kits para entretenimento infantil – além de cenários instagramáveis.

Mind the gap
A Virgin Atlantic postergou o início das suas operações no Brasil sem esclarecer as causas. Inicialmente, a empresa britânica ia operar voos entre Heathrow e Guarulhos em meados de 2020. Por causa da pandemia, adiou a estreia dessa rota para maio de 2024. Em meados de novembro, postou em seu site: “Voe direto de Londres para São Paulo com a Virgin Atlantic. Voos decolam a partir do verão [europeu] de 2025”. Passageiros que já tinham adquirido passagens receberam um e-mail avisando do cancelamento.

Ponte alternativa
A Azul acaba de completar 1 ano atuando na ligação entre o Aeroporto de Congonhas e o Aeroporto Roberto Marinho, em Jacarepaguá, no Rio. No período, 18.500 mil passageiros foram transportados pela Azul Conecta, divisão que opera os voos regionais da Azul. Isso significa uma média de seis viajantes por voo, ou 67% de ocupação média. A cada dia, são realizados sete voos nessa rota, com aeronaves Cessna Grand Caravan, com capacidade para nove passageiros.