fbpx
logo
logo
Parques aquáticos de Olímpia se consolidam como maiores e mais visitados da América Latina

Parques aquáticos de Olímpia se consolidam como maiores e mais visitados da América Latina

Na segunda metade do século passado, a Petrobras prospectou várias áreas no interior do estado de São Paulo. No município de Olímpia (a 440 km da capital e 360 km de Campinas), não encontrou petróleo, mas a empresa descobriu que o subsolo da região escondia outro tesouro: uma enorme fonte de águas termais, com temperaturas entre 25°C e 50°C.

De olho na exploração dessa riqueza de inestimável valor, um grupo de empresários e fazendeiros resolveu criar nos anos 1980 um clube para os moradores desfrutarem das águas quentes. Três décadas depois, a cidade abriga dois enormes parques aquáticos, que chegaram a receber, antes da pandemia, mais de 2 milhões de visitantes por ano, quase 40 vezes a população da cidade, que tem 54 mil habitantes, segundo o censo de 2016 do IBGE.

E onde se hospeda toda essa gente? A cidade acaba de ultrapassar Aparecida do Norte no ranking de municípios paulistas com mais acomodações: em Olímpia são 30 mil leitos, enquanto em Aparecida são “apenas” 21 mil. Olímpia possui a 2ª maior estrutura hoteleira do estado, só atrás da capital.

Alguns megaresorts surpreendem por seus números superlativos: o Olímpia Park Resort, por exemplo, possui 912 apartamentos; o Wyndham Olímpia Royal Hotels oferece 960 apartamentos, e o recém-inaugurado Solar das Águas Enjoy Park Resort, com 1.000 suítes, tem capacidade para receber até 6 mil hóspedes.

Foto Divulgação | Piscinas e “praias” do parque aquático Olímpia Hot Beach

Os dois grandes parques aquáticos que disputam a preferência de quem visita Olímpia são o Thermas dos Laranjais e o Hot Beach. O Thermas, inaugurado em 1987, é maior da América Latina e um dos mais visitados do mundo. São mais de 50 atrações para todos os públicos e idades espalhadas por uma área de mais de 300 mil m². Os destaques são os brinquedos radicais, como o Lendário (toboáguas com looping e quedas de até 28 metros de altura), a montanha-russa aquática (mais de 300 metros de pura adrenalina) e a piscina para sufistas, com ondas artificiais.

Mais novo e em operação desde meados de 2017, o Hot Beach é o preferido das famílias com crianças pequenas. São 90 mil m² com cerca de 20 atrações. A garotada se esbalda na ampla área infantil, e os jovens e adultos têm à sua disposição várias prainhas, rio com correnteza, toboáguas e muito espaço para relaxar em meio ao verde e à onipresente água quente.

Neste momento de crise hídrica, de ondas de calor assolando a Região Sudeste do país mesmo no inverno e de gasolina a R$ 7 o litro, Olímpia e suas “praias” se consolidam cada vez mais como o destino mais procurado por quem vive no noroeste de São Paulo, no Mato Grosso do Sul ou no sul dos estados de Minas Gerais e Goiás.

Reserva ambiental Toca da Raposa é destino de passeios educativos sobre consciência ambiental e preservação

Reserva ambiental Toca da Raposa é destino de passeios educativos sobre consciência ambiental e preservação

Em Juquitiba, a 140 km de Campinas, a reserva ambiental Toca da Raposa é destino de passeios educativos em família com direito a interação com animais silvestres em meio à natureza. São aproximadamente 100 mil m² de área preservada, cercados pela majestosa cobertura vegetal da Mata Atlântica. Embaúbas, manacás, caneleiras, cedros e samambaiçus compõem o visual sublime da flora da reserva.

O espaço que, antes da pandemia, costumava receber cerca de 600 crianças em excursões escolares semanais, agora funciona apenas aos finais de semana e com capacidade de público reduzida a oito famílias por dia. O distanciamento entre visitantes é monitorado e o uso de máscaras é obrigatório em áreas de uso comum.

 

Foto Divulgação | Toca da Raposa

 

As visitas duram em torno de seis horas e as opções de lazer são inúmeras. Um escorregador gigante turbinado com farinha, um brinquedão feito de pneus, um deque para banho de esguicho e uma estrutura radical de mini arvorismo fazem a alegria da criançada. As famílias ainda recebem uma cesta recheada de petiscos para montar o próprio piquenique nos gramados da reserva. O kit de delícias inclui café, sucos, frutas, pães artesanais doces e salgados, geleias, tortinha de legumes e bolo caseiro – tudo já incluso no valor do ingresso.

O grande destaque da visita é a caminhada pelo criadouro conservacionista da Toca. O local abriga cerca de 90 animais silvestres, incluindo mamíferos, aves e répteis, resgatados pelo Ibama de situações de maus-tratos, tráfico e caça predatória – e que, por esse motivo, não estão aptos a retornar à natureza. Nesse ambiente, os visitantes podem interagir com araras, corujas, lagartos senis, jabutis gigantes, saguis e até tirar fotos com o charmoso Wolverine – gavião de cauda branca que perdeu a asa em um acidente com linha de cerol.

 

Foto Divulgação | Toca da Raposa

 

A partir de outubro, os pequenos também poderão viver momentos de exploração à la Indiana Jones no “Go Outside!”, mais nova atração do espaço, realizada em parceria com a National Geographic. Transformados em “detetives da natureza” e dotados de mochila, boné e estilingue para dispersão de sementes, os jovens exploradores partem em uma trilha interativa pela Mata Atlântica e aprendem sobre consciência ambiental e preservação, sem abrir mão da brincadeira.

Com a liberação das fronteiras para a França, turistas apostam em roteiros fora do comum na capital do país

Com a liberação das fronteiras para a França, turistas apostam em roteiros fora do comum na capital do país

A espera de quase um ano e meio pela abertura da França trouxe uma transformação para o turismo no país. Agora, além dos clássicos, Paris reativa a liberação das fronteiras com roteiros exclusivos e fora do circuito comum. Desbravar a cidade sob um ponto de vista diferente é uma tendência do novo momento. Por isso, agências brasileiras com base na capital francesa têm recebido cada vez mais pedidos de experiências sem pressa e únicas. As empresas organizam roteiros personalizados que podem passar pelas artes, gastronomia e perfumaria.

Com sede em São Paulo e Paris, a agência Moncompass, por exemplo, realiza um tour por acervos de colecionadores. É a oportunidade de conhecer a cultura parisiense por meio de pequenos e desconhecidos museus. O tour, que geralmente passa por até três locais, é realizado por profissional credenciado pelo Ministério da Cultura e do Turismo da França. Muitos pontos eram residências de ilustres moradores e, hoje, por toda a riqueza do patrimônio, transformaram-se em museus.

 

Foto Divulgação | Jacquemart-André Musée

 

As visitas incluem lugares preciosos como o Jacquemart-André Musée, que fica em uma residência do século 19 e abriga centenas de obras de arte, como a pintura “A Virgem” e “A Criança”, do italiano Sandro Botticelli, e “A Ceia em Emaús”, de Rembrandt. A Maison Victor Hugo também pode estar no passeio, com exposições fixas e itinerantes – entre elas, a coleção de desenhos do poeta e romancista.

Uma viagem a Paris pode ser a chance de conhecer de perto o mundo da confeitaria. O Tour Pâtisserie aproxima visitantes de biscoitos, chocolates, tortas, brioches, macarons e éclairs. Conduzido por um profissional da área, o roteiro inclui ainda história, sabores e técnicas da gastronomia francesa. O tour, com duração de três horas, percorre bairros como Marais e St. Germain. Um dos programas é vivenciar um dia em um ateliê prático na École Ritz Escoffier – tradicional escola que forma profissionais há mais de 30 anos e foi iniciada por Auguste Escoffier, primeiro chef do hotel Ritz Paris e pioneiro da cozinha moderna do país.

 

Foto Gabi Alves | Tour Pâtisserie

 

Diferentes sensações

Para quem gosta de tecnologia e quer variar os roteiros, a agência Turismo Francês indica a Fly View 360, que é novidade na cidade. Equipamentos de realidade virtual levam a uma viagem inédita por lugares como Torre Eiffel, Arco do Triunfo e até pelos telhados de Montmartre – bairro boêmio de Paris –, sob diferentes ângulos e paisagens difíceis de serem avistadas presencialmente. Cada experiência dura 35 minutos e custa a partir de 19,50 euros.

Outro programa inusitado é criar o próprio perfume na Fragonard, uma das perfumarias mais tradicionais da França. O workshop de uma hora e meia é comandado por um perfumista. O encontro ocorre na loja conceito, próxima à famosa Opéra Garnier, e resgata aromas da infância e das emoções sentidas a partir dos cheiros. A programação inclui visita pelo Museu do Perfume e custa cerca de 70 euros. Sem dúvida, se você já conhece Paris ou viaja pela primeira vez à cidade, experiências diferentes fazem com que a abertura das fronteiras tenha um sabor especial.

 

Foto Anelise Zanoni | perfumaria Fragonard

 

E encontrar um hotel bem localizado na capital francesa facilita a vida do viajante, mesmo daqueles que já conhecem bem a cidade. O Hotel Plaza Étoile fica a poucos passos do Arco do Triunfo e da Avenida Champs Elysées. Moderno e compacto, é decorado com mobiliário minimalista e a diária inclui café da manhã. A cinco minutos de caminhada das Galeries Lafayette – conhecida loja de departamentos francesa –, o Hotel Hélios Ópera tem peças de designers na decoração. Alguns quartos contam com varanda com vista para prédios históricos e as opções deluxe e executivo incluem cafeteira Nespresso, roupões e chinelos personalizados.

Novos tempos, novos procedimentos

A França abriu fronteiras em julho para os brasileiros com ciclo vacinal completo. São aceitas as vacinas autorizadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA): Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Johnson & Johnson. Vacinados com Coronavac devem receber uma dose de reforço de um imunizante aceito pela EMA. Para entrar no país é preciso obter um passe sanitário, que pode ser solicitado no site criado pelo governo (https://br.ambafrance.org).

Hotel Hélios Ópera
75 Rue De La Victoire – 75009 Paris – France
Diárias na faixa de 160 ¤.

Hotel Plaza Étoile
21 Avenue De Wagram – 75017 Paris – France
Diárias na faixa de 150 ¤.

Restaurantes pet friendly têm cardápio exclusivo para os bichinhos

Restaurantes pet friendly têm cardápio exclusivo para os bichinhos

O conceito de Pet Friendly veio para ficar e já mudou o atendimento e até os menus em restaurantes e bares de São Paulo

Tudo indica que a vida voltou ao normal. Ao menos acabaram as restrições de horários em lugares públicos, as pessoas vão perdendo o medo do convívio social e, com isso, bares, restaurantes, aeroportos e hotéis voltaram ao ritmo que conhecemos por normal. Mas alguns hábitos mudaram. Esses 18 meses de fobia do coletivo tornaram as pessoas mais caseiras, e as saídas e a diversão fora de casa foram substituídas pela inclusão de novos membros na família: os pets.

Quem vivia sozinho, foi atrás de companhia. E as famílias com crianças encontraram em gatos e cachorros uma forma de trazer alegria para a casa sem as mudanças e os custos que um filho a mais representa. Basta ver o aumento no número de adoção e as filas de espera nos canis.

A humanização dos nossos amiguinhos é tão real que praticamente todos os restaurantes e bares viraram pet friendly. Mesmo porque foi uma das formas que esses locais encontraram para sobreviver na pandemia. Claro que com restrições – como o tamanho do cachorro – mas agora só falta o pet se sentar com a família, porque cada vez mais se busca oferecer alimentos com sabores de paladar “humano” aos animais de estimação. Tanto é que a marca de alimentos pet Mon Petit Chéri trouxe o MasterChef Érick Jacquin elaborando diversas receitas para permitir uma troca de prazer e de carinho entre os donos e seus pets.

 

Foto Pedro Nadai | O chef Érick Jacquin com a cachorrinha Kiliquinha, que é influenciadora digital

 

Hoje a pergunta não é mais quem aceita os nossos amiguinhos, mas “quem oferece algo especial feito e pensado para eles”. Vários bares e restaurantes em São Paulo já oferecem aos cachorros acompanhados não só tigela de água fresca, mas também um bifinho. E ainda é por conta da casa.

O Ça Va Bistrot, na Bela Vista, o Brado Restaurante, em Pinheiros, o Buoníssimo, também em Pinheiros e que oferece um tapetinho e uma tigelinha com refresco, o Méz, no Itaim, e o Marakuthai, tanto nos Jardins quanto no Itaim, são alguns exemplos. Tem até um lugar mais focado ainda nos mimos aos pets: o Pracinha de seu Justino, na Vila Madalena. Ali o proprietário montou um cardápio especial para cães e gatos. Tem hambúrguer, hot-dog, pipoca de picanha e até cerveja para cães. E tudo feito com os ingredientes próprios para o consumo dos companheiros.

Deu vontade de tomar um sorvete? No Davvero Gelato, no Itaim, tem bebedouros para animais e prendedores de coleiras. Outra premiadíssima sorveteria vai mais longe, a La Botteghe Di Leonardo, na Oscar Freire, criou um menu exclusivo de gelato para cães, e com certificação veterinária.

E, como não poderia faltar, os bares e as cafeterias também estão entrando nessa. O Fortunato Bar, na Vila Mariana, oferece água e brinquedinhos para cachorros para não apressar seus clientes. Assim como um dos cafés mais badalados da cidade, o Santo Grão, nas unidades Oscar Freire e Itaim, que dispõe de varandas com potinhos de água fresca para acomodar os amiguinhos. Quer mais? A Frutaria abre cocos naturais para servir a água direto do fruto para o seu pet.

Se faz tempo que você não sai para comer, não estranhe a presença dos novos integrantes da família brasileira.

Até!

Parque Caminhos do Mar oferece boa estrutura, belas paisagens e riqueza histórica entre SP e Santos

Parque Caminhos do Mar oferece boa estrutura, belas paisagens e riqueza histórica entre SP e Santos

São Paulo e Santos são conectadas hoje pela Rodovia dos Imigrantes e pela Via Anchieta. Ainda bem, assim podemos passear calmamente pela Estrada Velha de Santos, inaugurada em 1913, e pela Calçada do Lorena, que foi rota de tropeiros a partir de 1792. As duas ficam dentro do Parque Caminhos do Mar, uma área de 274 hectares de Mata Atlântica com vistas espetaculares da Baixada Santista.

Para quem não está ligando o nome à pessoa, é bom lembrar que a Calçada do Lorena foi a estrada pavimentada que o imperador Dom Pedro 1º percorreu vindo de Santos e, em cujo trecho final, no Ipiranga, declarou a Independência do Brasil, em setembro de 1822. E foi na sinuosa Estrada Velha que outro rei, Roberto Carlos, compôs “Nas Curvas da Estrada de Santos”, aquela canção clássica que começa com os versos “Se você pretende, saber quem eu sou, eu posso lhe dizer / Entre no meu carro, e na Estada de Santos, você vai me conhecer”.

 

Foto Divulgação

 

É justamente em uma dessas curvas que é possível ter uma visão fantástica de Cubatão, de Santos e, lá no fundo, ao longe, do mar. Não à toa, o nome desse lugar é Curva do Uau. Além da flora exuberante, da enorme diversidade de pássaros e da sempre surpreendente visão de macacos e preguiças, outras atrações do parque são as bonitas construções que foram preservadas ao longo do percurso entre o Planalto e a Baixada. Entre elas, o monumento em homenagem ao governador Bernardo José Maria de Lorena, o Rancho da Maioridade (pousada para descanso dos viajantes), o Pouso de Paranapiacaba (outro point com vistas formidáveis) e a Casa de Visitas do Alto da Serra (um lindo casarão em estilo bangalô indiano erguido no final do século XIX pelos britânicos que vieram construir a estrada de ferro São Paulo (Railway, a primeira a conectar o interior do estado de São Paulo ao porto de Santos).

 

Curva do Uau e monumento Padrão do Lorena, no Parque Caminhos do Mar – foto divulgação

 

A trilha a pé, que dura cerca de quatro horas em seu percurso completo, é uma excelente opção de passeio para quem curte história, natureza e um toque de aventura em família. O Parque Caminhos do Mar pode ser visitado de quarta-feira a domingo, inclusive nos feriados, entre 8h e 17h. Não é permitido descer a serra de bicicleta ou skate.

Desde o início deste ano, a gestão do parque está a cargo da Parquetur, que já implantou várias melhorias no local e pretende fazer muito mais nos próximos meses. A empresa administra também o Parque da Chapada dos Veadeiros, em Goiás.

Parque Caminhos do Mar
Rodovia SP-148, km 42, São Bernardo do Campo, tel. 97279-5616. Ingressos a R$ 30 (quartas e quintas) e R$ 40 (sextas a domingos e feriados). Estacionamento a R$ 10 (quarta e quinta) e R$ 20 (sextas a domingos e feriados). Visitas guiadas (contratadas com antecedência, para até 5 pessoas), por R$ 100. www.caminhosdomar.com.br