Trigésima edição do rali Sertões percorre o país de Norte a Sul em caravana de comemoração ao Bicentenário da Independência

por | ago 1, 2022 | Esporte | 0 Comentários

Comemorando suas três décadas de existência, o rali Sertões percorre o país do Sul ao Norte com sua caravana que traz não apenas adrenalina e emoção às cidades, mas também saúde, empregos, educação e cultura

Entre os dias 26 de agosto e 10 de setembro, uma das maiores provas off road do mundo vai percorrer 7.216 km pelo interior do país, em celebração ao bicentenário da Independência do Brasil. A edição comemorativa dos 30 anos do Rally dos Sertões será a maior competição contra o relógio do mundo e, desta vez, vai passar pelas cinco regiões do país.

Tradicionalmente, a prova dura oito dias, mas este ano terá 16 dias, cruzando oito estados: a largada será no Paraná, nas Cataratas de Foz do Iguaçu (conjunto de 275 cachoeiras que compõem um dos mais lindos Patrimônios Naturais da Humanidade), e depois seguirá por São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Piauí e Maranhão, até terminar em Salinópolis, no Pará. O desafio levará pessoas e máquinas ao limite, atravessando as magníficas paisagens da Ilha do Bananal, dos Cânions do Viana, da Floresta Amazônica e das dunas do Jalapão.

 

Sertões - Foto Victor Eleuterio | Divulgação

Sertões – Foto Victor Eleuterio | Divulgação

 

O rali contará com oito provas especiais inéditas e a maior de todos os tempos – 601 km contra o relógio – que acontece na 6ª Etapa, no trecho entre Barra do Garças e São Felix do Araguaia, no Mato Grosso. Até então a maior especial do Sertões havia sido disputada em 2019, no Jalapão, com 535 km. A 10ª etapa é a única em formato de laço, ou seja, os competidores largam e chegam no mesmo lugar, em Bom Jesus do Piauí, passando pelos Cânions do Viana. E as etapas Maratona, nas quais os competidores não contam com apoio mecânico, este ano totalizarão 914 km. Do total de 7.216 km, os trechos cronometrados somam 4.811 km.

Sertões - Foto Gustavo Epifano

Sertões – Foto Gustavo Epifano

 

“Chegou o nosso grande momento, o ano histórico de comemoração dos 30 anos deste rali, que coincide com a celebração do bicentenário da Independência do Brasil. O Sertões tem como objetivo revelar um Brasil que poucos brasileiros conhecem, através do esporte e de experiências em lugares fascinantes. É sinônimo de aventura e orbita nos sonhos de muitas pessoas. Trabalhamos muito para chegar até aqui e é motivo de muito orgulho poder anunciar esse super-roteiro, o maior do mundo! Vamos fazer um tributo ao nosso país”, comemora Joaquim Monteiro, CEO do rali Sertões.

 

Caravana superlativa

Para entender a dimensão deste grande evento, basta conhecer alguns números do Sertões. Ao longo dessas três décadas de existência, as provas já somaram 130 mil quilômetros, o equivalente a três voltas pela Terra. 2.374 competidores de 27 países participaram das 29 edições do rali, sendo 84 caminhões, 1.090 carros, 814 motos e 386 UTVs. Cada edição do Sertões consome em média R$ 50 milhões em investimentos, mas em 2022 o orçamento será bem superior a isso.

Em 2021, o rali contou com a participação de 196 competidores, e este ano a expectativa é que o número de inscritos seja superior a 230, entre carros, motos e UTVs. A presença feminina ainda não é muito grande, porém só tem aumentado. Em 2020, 38 mulheres participaram do rali, e existe até uma equipe 100% feminina – a Musa (Mulheres Unidas Sertão Adentro) –, composta só por duas pilotas, uma de UTV e outra de moto.

O cronograma se divide em duas fases. A primeira metade, batizada de Sertões Sul, vai da largada, no dia 28 de agosto no Paraná, até o dia 3 de setembro, quando chega a Palmas, no Tocantins, depois de 3.190 km. Depois de um dia de descanso na capital do estado, a caravana segue por mais 4.025 km até o dia 10, quando enfim encontra o mar, em Salinópolis (PA).

Todo o “circo” do rali conta com cerca de 2 mil pessoas que se deslocam pelo país à medida que a prova avança. É uma trupe que ativa a hotelaria, os restaurantes, os postos de combustível, os mercados e toda a economia das cidades por onde passa.

Roteiro Sertões 2022 -Foto divulgação

Roteiro Sertões 2022 -Foto divulgação

 

Impacto social

O Sertões é muito mais do que o maior rali das Américas, é um evento que tem o Brasil como pano de fundo – não acontece em autódromo ou estádio – e faz muito pelas comunidades que visita. Leva medicina de qualidade para a população carente das cidades, por meio das ações promovidas pela startup SAS Brasil (Saúde e Alegria no Sertões), projeto social importante e premiado que nasceu em 2013 para levar atendimento médico gratuito e de qualidade para cidades com IDH até 0,7. Nesses oito anos, já transformou a vida de cerca de 180 mil pessoas.

Em 2022, os planos da SAS Brasil pretendem contemplar até sete cidades e realizar mais de 16 mil atendimentos para populações carentes, beneficiando a vida de mais de 20 mil pessoas e impactando diretamente a fila de espera do SUS para especialidades como oftalmopediatria, odontopediatria, dermatologia e ginecologia. A caravana de saúde este ano contará com centenas de voluntários e três carretas. equipadas com consultórios médicos para realização de consultas, exames e até cirurgias para a retirada de lesões precursoras de câncer de pele e de colo de útero.

 

Irmãos Baumgart buscam o hexa da X Rally Team

Em meio à poeira e às dezenas de carros que rodam no rali, dois deles são pilotados por irmãos. E, mais do que isso, nos últimos anos os dois estão sempre na ponta. Cristian Baumgart, hoje com 47 anos, já participou de 22 edições do Sertões e se sagrou campeão em quatro oportunidades (em 2016, 2017 e 2018 e 2021). Já Marcos Baumgart, 45 anos, foi o campeão de 2020.

No ano passado, o rali foi palco de uma disputa emocionante entre os irmãos a bordo de seus Toyota Hylux turbinados. Marcos e seu navegador, Kleber Cincea, lideraram a disputa até os últimos quilômetros da prova, mas um imprevisto os obrigou a diminuir o ritmo, permitindo que Cristian fosse o responsável pela conquista do 5º título da X Rally Team.

 

Irmãos Baumgart - Foto Ricardo Leizer

Irmãos Baumgart – Foto Ricardo Leizer

 

O caçula, Marcos, deixa claro que existe uma rivalidade natural nas provas, mas não fora delas. E, se não fosse o Cristian, hoje ele não estaria onde está. “Um ajuda o outro, um dia eu furo um pneu e ele ajuda, no outro dia é o contrário. Se eu tenho uma evolução, ele tem parte nisso”, confessa. “Em algumas edições do rali, fui a caça. Desta vez vou ser o caçador. Vou atacar todo mundo que estiver na minha frente. Estou muito bem preparado e, se não ganhar, vou ser a pedra no sapato de quem estiver na liderança”, avisa Marcos.

Para Cristian, não existe nenhuma rivalidade exagerada, mas ele admite que não vai aliviar para facilitar o caminho do irmão. “Eu até torço por ele, mas já falei que não vou deixar barato. Se ele quiser ganhar, vai ter que acelerar, nada vai cair no colo, não”, recomenda o tetracampeão, que tem como navegador Beco Andreotti, manager da X Rally Team.

“Estamos muito preparados técnica, física e mentalmente. A equipe sabe muito bem o que fazer e isso nos deixa confortáveis para pensar unicamente em acelerar”, completa Cristian.

 

Atrações em cada curva

O evento promove também a culinária e os temperos das regiões por onde passa, por meio da realização do concurso Sabores do Sertões, motivando restaurantes e cozinheiros locais a participarem. Oferece ainda capacitação para os pequenos empreendedores locais, em parceria com o Sebrae, e engaja as escolas da rede pública, com a realização do Concurso de Redação e Arte do Sertões Cultural. Em 2021, a ação premiou crianças com tablets.

Por fim, o Sertões turbina o turismo das localidades que ficam em sua rota, promovendo as chamadas Expedições de Turismo, que acontecem em paralelo às provas. Além de poderem acompanhar as competições de “camarote” em trechos exclusivos definidos pela equipe técnica, os participantes dessas expedições ainda visitam os atrativos turísticos (parques nacionais, cachoeiras, cavernas, dunas, praias fluviais e desfiladeiros) situados ao longo do roteiro, têm a oportunidade de provar as maravilhas da gastronomia local e conhecem o artesanato de cada região. É um jeito diferente de fazer turismo e descobrir as belezas do Brasil.

No rali Sertões a competição em duas rodas é tão acirrada quanto a de carros e UTVs - Foto Gustavo Epifanio

No rali Sertões a competição em duas rodas é tão acirrada quanto a de carros e UTVs – Foto Gustavo Epifanio

 

As expedições proporcionam principalmente uma integração com a caravana do rali, ou seja, foram desenvolvidas para aqueles que desejam participar do Sertões se divertindo e não competindo. Nesta edição, o Sertões conta com oito operadores, com expedições para diversos perfis, sendo que uma delas vai largar do Chuí (RS) e chegar no Oiapoque (AP), literalmente. Para mais informações sobre os roteiros para carros e motos, mande mensagens para o whatsapp 11 91099-2513.

“Nesses 30 anos de Sertões, já passamos por 117 cidades de 18 estados, além do Distrito Federal. Que venham mais 30 anos! Mas, para isso, precisamos continuar cuidando das cidades anfitriãs, das pessoas e do meio ambiente. Mais do que levantar poeira, o Sertões quer movimentar a economia das cidades e deixar um legado por onde passa: com a SAS Brasil, nossa ação social; com o Sertões Cultural e com os parceiros que ajudam a tornar tudo isso uma realidade”, finaliza Leonora Guedes, COO do Sertões.

0 Shares

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Copy link