fbpx
logo
logo

O melhor do forró, para aproveitar o clima junino em casa

por | jun 17, 2021 | Coluna, Cultura, Música, Música | 0 Comentários

Uma seleção para curtir as delícias do forró e se inspirar com a diversidade do gênero.

De onde vem o baião? Perguntou Luiz Gonzaga. E o xote das meninas? O chiclete misturado com banana? Esses ritmos tradicionais nordestinos que nos fazem dançar ganharam o país justamente com o maravilhoso Lua – sanfoneiro pernambucano nascido em Exu, em 1912. Chegou ao Rio de Janeiro muito jovem, disposto a viver de música. Tentou cantar boleros, mas o que o povo queria mesmo ouvir era a música de sua terra natal.

Foi da festa, do forrobodó, que nasceram todas essas delícias. O forró é mais que um gênero, é uma manifestação cultural brasileira que reúne muitos elementos: a festa, a saudade do sertão, os instrumentos, os ritmos e as formações típicas, além de grandes letristas, ícones da nossa música, e canções populares.

 

Mariana Aydar - Foto: Autumn Sonnichsen | Divulgação
  • Save

Mariana Aydar – Foto: Autumn Sonnichsen | Divulgação

 

Se não fosse a pandemia teríamos agora uma grande temporada de shows e festas dançantes por todo Brasil, especialmente pelo Nordeste. Para não perder de todo a graça, vamos recorrer à música. Vamos ouvir em casa uma bela seleção que começa com Mariana Aydar, cantora e compositora paulistana que ama o forró. Tanto que fez um disco chamado “Veia Nordestina”, contando em capítulos a história do gênero. Começa com a voz de Luiz Gonzaga chamando para o baile e, se ele chama, a gente afasta os móveis da sala e tira o par para dançar.

Agora vamos de Mestrinho, jovem sanfoneiro que tem grande inspiração na delicadeza do mestre Dominguinhos. Mestrinho é de Itabaiana, Sergipe, e toca que é uma beleza! Recomendo a música “Eu e Você”, para deixar o baile cheio de chamego. Mas ouça mais, aventure-se no repertório dele e descubra o grande instrumentista que ele é. “Numa Sala de Reboco”, clássico de Luiz Gonzaga, tem que estar nessa lista. E aí você escolhe na voz de quem quer ouvir. Tem Elba, Lua, Dominguinhos, trios e mais trios de forró que gravaram essa canção para lá de convidativa.

Quer forró instrumental? Procure por Nicolas Krassik, um violinista francês que vive no Brasil e é apaixonado pelo gênero. “Cordestinos” é incrível! E seu mais recente trabalho é uma leitura da obra de Gilberto Gil com quem ele tocou bastante. Forró pé de serra é aquele mais ligado à tradição. Tem Falamansa, Bicho de Pé, tem Chico César, Quinteto Violado, uma infinidade. E tem até o Forronejo, mas esse, eu confesso, conheço pouco. Mistura o eletrônico, o brega e o sertanejo mais pop com o forró para dançar.

Vale tudo para se divertir e esquecer a tristeza. Dançar para não dançar, já cantou a mestra Rita Lee. Ou como canta o velho Gonzaga: “Todo tempo que eu tiver pra mim é pouco pra eu dançar com meu benzinho numa sala de reboco”. Tem coisa melhor?

Acesse a playlist do 29HORAS Play no Spotify e participe desse arraiá sem sair de casa!

 

Mestrinho - Foto: Sesc Virada
  • Save

Mestrinho – Foto: Sesc Virada

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Copy link
Powered by Social Snap