Guerra na Ucrânia causa escassez global de grãos

por | jun 24, 2022 | Agronegócio, Negócios | 0 Comentários

ONU alerta para os impactos da falta de cereais como trigo e milho nos seus programas de combate à fome e crise estimula agricultores brasileiros a aumentar a área dedicada à triticultura aqui no país

Apesar da invasão russa, a Ucrânia segue exportando parte de sua produção agrícola, explorando rotas alternativas, principalmente por terra, via Romênia, já que a Rússia bloqueou os portos ucranianos no Mar Negro e no Mar de Azov. Só no mês de abril, o país conseguiu escoar mais de um milhão de toneladas de grãos.

Ainda assim, quase 25 milhões de toneladas de grãos estão presos no país e não conseguem deixar a Ucrânia devido aos problemas na infraestrutura logística, segundo a FAO – agência de alimentos da ONU (Organização das Nações Unidas). Por causa disso, as cotações internacionais de algumas commodities agrícolas vêm registrando seguidas altas – a Ucrânia foi o quarto maior exportador mundial de milho na temporada 2020/21 e o sexto maior exportador de trigo, segundo dados do International Grains Council.

Na tentativa de arranjar uma solução para esse problema, o secretário-geral da ONU, António Guterres, mantém intensos contatos com Rússia, Ucrânia, Turquia, Estados Unidos e União Europeia para restaurar a exportação de grãos ucranianos e evitar uma piora na crise alimentar global. Isso é fundamental para a continuidade do Programa Mundial de Alimentos da ONU, que abastece cerca de 125 milhões de pessoas no mundo todo – em especial na África – e adquire 50% de seus grãos da Ucrânia.

A falta de trigo no mercado mundial repercute até no Brasil. De olho nos preços em alta desse cereal, triticultores de estados como Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul e Piauí vêm ampliando sua área de cultivo. Dessa forma, a safra 2022 deve ser a maior da história do país, com um aumento de 20% em relação à de 2021.

 

Trigo na Ucrânia | Foto Divulgação

Trigo na Ucrânia | Foto Divulgação

 

Prosa rápida

Mais empregos
No primeiro trimestre de 2022, a população ocupada no agronegócio brasileiro somou 18,74 milhões de pessoas, aumento de 6,2% frente ao mesmo período do ano passado, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Escola Superior de Agronomia da USP (Cepea). O número foi o maior para esse período desde 2016, quando a população ocupada no setor agropecuário totalizou 18,75 milhões de brasileiros.

Leiteria
A vaca Iluminada é a nova recordista brasileira em produção de leite. O recorde foi batido no 42º Concurso Leiteiro, realizado no início de maio durante a 87ª ExpoZebu, em Uberaba. A vaca da raça Gir Leiteiro, de 8 anos e no quarto parto, alcançou a marca de 80,150 kg de leite por dia. Iluminada é de propriedade da Fazenda Fundão de Pains (MG). Ela é filha do touro Teatro da Silvânia, famoso por sua excepcional genética e pela incrível capacidade de transmitir seu potencial a suas crias.

Farra do algodão
Segundo estimativas da FAO e da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE), a produção mundial de algodão deve atingir 28,4 milhões de toneladas em 2030, e o Brasil deverá produzir 12,5% da produção mundial. Atualmente, os estados de Mato Grosso e Bahia concentram 90% da produção do país, de acordo com dados da Embrapa.

0 Shares

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Copy link