logo
logo

Restaurante Refúgio é o porto seguro de quem busca uma comida saborosa em Paraty

por | dez 29, 2020 | Comida & Bebida, Comidas | 0 Comentários

Instalado há mais de 20 anos em um casarão histórico de Paraty, com paredes de pedra e óleo de baleia, o restaurante Refúgio é tocado pela paulistana Maria Isabel Faria Costa e suas duas filhas, Isabela e Manoela. Três décadas atrás, quando ainda era apenas uma estudante de arquitetura na Faap, Maria Isabel foi passar férias em Paraty e nunca mais voltou. Foi morar com seu amor caiçara em uma praia deserta e sem luz elétrica.

Anos depois, o casal se mudou para a cidade e criou o Refúgio. Hoje, o local já faz parte do roteiro gastronômico de Paraty, com seus bem executados pratos à base de peixes e frutos do mar recém-saídos de seu habitat, fornecidos por moradores locais que vivem da pesca artesanal.

  • Save

Mesas ao ar livre do restaurante Refúgio

 

Na cozinha, mamãe Bel e Manoela preparam receitas locais com toques mediterrâneos. Isabela se ocupa da recepção dos clientes e do atendimento no salão e nas mesas ao ar-livre, que ficam parcialmente sombreadas por ombrelones.

Para começar uma gostosa refeição, aposte nos mexilhões em manteiga de escargot, na casquinha de siri e o palmito assado e servido com manteiga de ervas. Em seguida, escolha um dos best-sellers do cardápio para fazer as vezes de prato principal: o robalo com paçoca de banana e bacon é uma das combinações mais tradicionais da região; o tagliatelle com frutos do mar fará viajar à Costa Amalfitana; e a paella tem um arroz molhadinho e muito bem temperado – além de uma incrível fartura de camarões, lulas, mariscos nacos de peixe e lagosta.

 

  • Save

Proprietárias do Refúgio

 

Outra atração da casa é o casadinho de camarão, mais uma receita típica da cidade. Ele é composto por dois camarões tamanho GGG unidos por uma úmida farofinha de camarões sete-barbas. Para os veganos, a opção é a moqueca de pupunha.

De sobremesa, a clássica banana frita ganha um toque de sofisticação ao ser servida em um prato fundo com conhaque flamejante e um gostoso creme inglês com aroma de canela.
Para beber, a adega da casa abriga aproximadamente cem rótulos entre brancos, rosés, tintos e espumantes, mas o melhor mesmo é relaxar bebendo um Jorge Amado – coquetel elaborado com Gabriela (cachaça aromatizada com cravo e cabela), açúcar mascavo e sucos de limão e de maracujá.

 

  • Save

Paella da casa – Refúgio

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Copy link
Powered by Social Snap