logo
logo

Uma lista de bons delivery no confinamento

por | set 14, 2020 | Coluna, Comidas | 0 Comentários

Após alguns meses de novo mundo, aprendemos algumas lições que vão tornando a rotina mais eficiente e mais gostosa com o delivery.

Já se passaram cinco meses desde que o confinamento e o mínimo de contato com os outros virou sinônimo de bom senso. Entre outras mudanças de comportamento para o bem geral da nação tivemos que mudar drasticamente a nossa rotina quando o assunto é alimentação. Também tivemos de repensar nossos hábitos quando o assunto é diversão. E, para quem considera um dos maiores prazeres da vida, comer fora e conhecer novos lugares junto com os amigos e familiares relaxando e se divertindo, o golpe foi pesado.

Em outras palavras, para a gente a porrada foi forte. Isso com o devido respeito à minoria que não partilha desse conceito de prazer e diversão. Apesar que provavelmente essa turma não deve ler esta coluna.

Sabemos também que essa volta gradual à normalidade tem gerado muitas decepções pela própria dificuldade dos restaurantes de se adaptarem às restrições e à nossa bizarra percepção das mudanças nesses ambientes. Além de termos que transferir os cardápios para nossos telefones ainda temos dificuldades para achar normal clientes e funcionários com aparência de enfermeiros.

 

Delivery do restaurante koreano Komah

 

Por isso acho valioso algumas dicas de restaurantes que conseguem fazer a experiência do delivery valer a pena. Menciono apenas representantes das culinárias que julgo viáveis de manterem qualidade no sistema de entrega e, muito difíceis de preparar em casa. Também não falo nem de pizza e nem de sanduíches porque todos nós já selecionamos nossos prediletos(as) nos últimos anos.

Quando a pedida é japonês, cada um frequenta o de sua preferência e já deve ter testado a entrega, mas eu desafio os amantes do sushi e do sashimi a encontrar algum que supere o Kenzo. É maravilhoso, para japonês exigente comer de joelhos. Outra pedida surpreendente é de bandeira koreana. O chefe Paulo Shin elevou essa culinária ao patamar das mais apreciadas e conseguiu montar um envelope de delivery à altura da experiência in loco. Não deixe de pedir o Bibimbap (arroz de alga com ovo a 63 graus, e legumes/cogumelos) e Galbi Jim (costela bovina braseada com shoyu e gengibre).

Se a bandeira for árabe é difícil bater o Misky. Tudo é bom, mas só eles têm a esfiha de ricota com cebolinha (que parece um travesseiro) e uma kafta de cordeiro no espeto única. Sem contar os tradicionais doces e o malabi (manjar de misky) com ameixa ou damasco.

Agora, se o desejo for puro e simplesmente de peixe e frutos do mar só existe uma e única opção no patamar da excelência: Ruffino’s. O delivery consegue manter toda a elegância e todo o sabor, desde o couvert (várias vezes o melhor da cidade), até os peixes e crustáceos ao forno ou grelhados. A entrega é minuciosa e os recipientes utilizados são tão competentes que podem ir direto pra mesa. Sou muito fã.

Por fim, se o desejo for bem brasileiro, a feijoada (light ou não) do Dinho’s é insuperável. Não deve nada para a que se come in loco e ganhou tantas vezes a melhor de São Paulo. Tudo separadinho, perfeito e no ponto. Não recomendo carne de lugar algum (seja com molho ou de grelha) porque não viaja bem e sempre será decepcionante ao chegar. Carne se come saindo do fogo, não tem jeito.

Garanto que com essas sugestões vocês terão boas experiências e momentos de alegria. Bom apetite e até!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *