Com cara de bar de esquina, o Bagaceira apresenta um menu de clássicos repaginados e uma extensa carta de drinques

Com cara de bar de esquina, o Bagaceira apresenta um menu de clássicos repaginados e uma extensa carta de drinques

É muito especial quando um novo empreendimento mantém a essência de seu bairro, das pessoas e de outros negócios que o cercam. O Bagaceira Bar, na Santa Cecília, representa bem esse movimento. Um boteco de esquina, com tudo o que caracteriza esse verdadeiro patrimônio paulistano, não andava muito bem financeiramente e foi arrematado pelos donos do Koya88, que fica bem ao lado. Assim surgiu esse novo bar, no final do ano passado. A arquitetura é de boteco, mas o menu é bem mais atrativo.

O cardápio do chef Thiago Maeda, sócio do Bagaceira, oferece versões de porções clássicas da cozinha de boteco. Destaque para o delicioso bolovo, feito com uma capa macia de copa lombo e morcilla, casquinha crocante e um ovo caipira no interior; além dos pasteis de palmito, dos suculentos torresmos (foto), do mexilhão no leite de coco e especiarias e da inusitada língua de boi com mandioca.

 

Bar Bagaceira | Foto Divulgação

 

Entre os drinques, há clássicos como a batida de coco e o caju amigo, e os autorais, como “Errado não Tá”, com vodca, aperol com morango e fermentado de abacaxi; o “Haiboru #2, feito de gin, gengibre, limão tahiti e soda de melancia; e, claro, as garrafas de cerveja. O espaço tem mesas na calçada e um balcão coletivo muito convidativo, e promove algumas festas aos finais de semana, como a feijoada com chorinho – sempre divulgadas na rede social do Bagaceira (@barbagaceira).

Punch Bar: Resgatando a tradição e a originalidade da gastronomia e bebidas do país asiático

Punch Bar: Resgatando a tradição e a originalidade da gastronomia e bebidas do país asiático

Bar de coquetéis oferece o melhor das bebidas japonesas, resgatando a tradição e a originalidade gastronômica do país asiático

Pode parecer Izakaya – bares japoneses para petiscar e beber saquê – mas o Punch Bar, no Paraíso, é mesmo um primor da coquetelaria. Pequeno, o local tem só um balcão e duas mesas. Por isso, é de lei reservar o lugar antes de aparecer. Não há cozinha, mas aperitivos, como o missô dengaku (berinjela gratinada com pasta de soja fermentada) e o katsu sando (tradicional sanduíche de pão de forma com copa lombo), vêm direto do Washoi, outro restaurante da galeria, ao lado.

 

Balcão do Punch Bar | Foto Divulgação

Balcão do Punch Bar | Foto Divulgação

 

O responsável pelos drinques é o paulistano Ricardo Tooru Miyazaki. Na carta, destaque para aqueles que misturam nostalgia com originalidade nipônica, como o Otonano Yakuruto, com saquê, vodca, água tônica e yakult, apresentado em copo longo com muito gelo; o Takê, que leva saquê Junmai Ginjo, jerez fino e bitter, e o refrescante e queridinho dos clientes da casa Green Garden, que mistura gim, suco de limão siciliano, xarope de açúcar demerara e folhas de shissô.

Para aqueles que não gostam de arriscar, há ainda os clássicos, como o Negroni, e é possível beber “apenas” um whisky – a exemplo do japonês Hibiki Harmony.

 

Punch Bar | Foto Divulgação

Punch Bar | Foto Divulgação

Endereço
The Punch Bar
Rua Manuel da Nóbrega, 76, (Edifício Barão de Ouro Branco, loja 17), Paraíso.
Telefone: +55 (11) 97342- 3186.
Faça sua reserva pelo WhatsApp do restaurante: acesse aqui!
Marmota Brewery inaugura na Lapa (RJ) um taproom onde serve suas cervejas e chopes artesanais

Marmota Brewery inaugura na Lapa (RJ) um taproom onde serve suas cervejas e chopes artesanais

O Marmota Brewery é o novo brewpub carioca, com cervejas em garrafa, torneiras que vertem mais de 12 opções de chopes artesanais, e um cardápio de sanduíches e porções para aplacar a fome. Instalado em um imóvel amplo, tem um salão com grafites coloridos e paredes altas, e um espaço onde funciona a cervejaria comandada pelo químico Mateus de Souza. Ele acompanha todos os processos: a malteação, a brassagem, a filtragem, a fervura, o resfriamento, a fermentação, a maturação e a dry-hopping (adição de lúpulo).

 

Foto divulgação - Chopes e cervejas Marmota

Foto divulgação

 

A fábrica tem capacidade para produzir cinco mil litros por mês de cervejas de alta qualidade e muito sabor, inspiradas em consagrados rótulos belgas, russos, norte-americanos, alemães e ingleses, mas com um toque carioca. Entre os carros-chefes da marca estão a Hop Bomber (Indian Pale Ale), a 2021 (Russian Imperial Stout) e a Lab#03 (Witbier).

Se a fome bater, peça o hambúrguer da casa, feito com 180 g de alcatra moída com bacon, queijo meia cura, crispy de cebola e aioli de mostarda Dijon no pão brioche.

Marmota Brewery & Taproom
Rua do Rezende, 38, Lapa, Rio de Janeiro, tel. 21 99679-0467.

Saiba mais informações sobre o local em:
Facebook – https://www.facebook.com/marmotabrewery
Instagram – https://www.instagram.com/marmotabrewery/
contato@marmotabrewery.com.br

Galerìa 1212 é o novo centro cultural de Campinas

Galerìa 1212 é o novo centro cultural de Campinas

Com uma ampla varanda agradável, e vista para a Avenida Norte Sul — coração pulsante e um dos símbolos de Campinas —, é inaugurada a Galerìa 1212, um espaço multifuncional que abraça a arte e a gastronomia em suas mais variadas formas, como brechó, loja de discos, música ao vivo, bar de drinques e intervenções artísticas para atender diferentes públicos da cidade.

 

Foto Divulgação

 

O lugar é a quarta empreitada do grupo formado pelos empresários Salin Miguel, Juka Pinsetta e Antonio Carlos Diaz Diaz, que também tem como integrante a DJ e fomentadora cultural Eli Iwasa. “Quando inauguramos um novo negócio, certamente torcemos para que seja um sucesso, mas foi muito além do que estávamos esperando ou até preparados. Realmente foi um boom, uma baita explosão. Acho que as pessoas estavam carentes de algo novo e totalmente diferente do que existe aqui na região”, conta Iwasa.

Entre os destaques do espaço está o brechó Era Outra Vez, que atua em parceria com influenciadoras como Gio Morete, permitindo uma imersãonos garimpos de moda consciente, em que peças selecionadas de acervos pessoais são expostas. O brechó recebe ainda marcas como Chaouiche, Skull e Gare, de Adriana Vidotto.

Colecionadores de vinil e apreciadores de boa música também ganham uma atmosfera especial: a Show Me Your Case, loja do DJ Mimi. Com curadoria aguçada, o acervo reúne discos de música eletrônica, música brasileira, rock, soul, funk, entre clássicos e novidades. Outro espaço na Galerìa 1212 dedicado à música é a Rádio Frida, que apresenta entrevistas dinâmicas, programações musicais e outros formatos flexíveis seja ao público presente dos finais de tarde até a noite, e para a audiência de ouvintes digitais, pela plataforma Twitch.

Para acompanhar as compras e o som, o restaurante do local oferece opções como smash burgers de gado britânico, assinados por Fernando Possenti, enquanto Érica Formighieri é a responsável por pizzas desenvolvidas com ingredientes frescos, tudo acompanhado por drinques autorais. Também há o Café 56, com cardápio próprio, e uma tabacaria para completar o passeio.

 

Foto Divulgação

 

Galerìa 1212
Rua Antonio Lapa, 146, Cambuí, Campinas
Todos os dias, das 10h às 23h59

 

Cachaça: o único destilado brasileiro é base para charmosos drinques

Cachaça: o único destilado brasileiro é base para charmosos drinques

A cada dia, aparecem novos apaixonados pela cachaça. É uma bebida complexa, de muitas possibilidades em razão de seu “terroir”. Uma “branquinha” ou “amarelinha” nunca será igual a outra, mesmo com características semelhantes. Tudo vai depender do solo, do clima, da qualidade da cana e outras influências.

Como reconhecer uma cachaça de qualidade?

Os cachaceiros costumam dizer que a melhor cachaça é a que está no copo, o que pode deixar apreciadores confusos com a diversidade nas lojas. Vou deixar, então, algumas dicas para reconhecer uma “marvada” desse naipe.

O primeiro e mais importante ponto é comprar uma cachaça legalizada, que tenha registro no Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA). O selo atesta que o produto está dentro dos padrões de qualidade exigidos. Às vezes, a cachacinha da roça, sem rótulo, pode trazer malefícios para a saúde.

Se atente também aos valores olfativos e visuais. Ao abrir aquela garrafa de caninha, o aroma deve convidar, ser fresco ou ter características da madeira que o influenciou no processo de envelhecimento. Não pode ser muito alcoólico, arder o nariz ou lacrimejar os olhos, apesar de sua graduação estar entre 38% e 48%. A cachaça deve ser límpida (sem resíduos), brilhante e deve produzir lágrimas (oleosidade) na borda da taça, quando agitada.

Paixão da coquetelaria

Os drinques com cachaça estão dominando os melhores bares. Com um produto versátil, nasce uma coquetelaria potente e criativa no Brasil, com admiradores no mundo todo. Quer conhecer coquetéis diferentes com cachaça? Seguem meus preferidos:

Serigueijo

– 50 ml de cachaça Tiê Ouro
– 50 ml de água de coco
– 20 ml de limão Tahiti
– 2 colheres de chá de geleia de seriguela

Modo de fazer: Adicione todos os ingredientes em uma coqueteleira e bata com gelo, coe para um copo longo com gelo.

 

Serigueijo, drinque com cachaça, coco e siriguela - Foto: Banqueta Coquetelaria Bar | Divulgação

Serigueijo, drinque com cachaça, coco e siriguela – Foto: Banqueta Coquetelaria Bar | Divulgação

 

Joelho de Abelha

– 50 ml de cachaça Tiê Prata
– 30 ml de xarope de mel de abelha jataí
– 20 ml de sumo de limão siciliano

Modo de fazer: Adicione todos os ingredientes em uma coqueteleira com bastante gelo, faça uma coagem dupla para uma taça de martini previamente gelada.

 

Joelho de abelha, drinque com cachaça, mel e limão siciliano - Foto: Banqueta Coquetelaria Bar | Divulgação

Joelho de abelha, drinque com cachaça, mel e limão siciliano – Foto: Banqueta Coquetelaria Bar | Divulgação

 

As receitas foram liberadas pela Banqueta Coquetelaria Bar.