fbpx
logo
logo

Bon vivant: as águas minerais entre São Paulo e Minas

por | mar 3, 2020 | Saúde & Bem-estar | 0 Comentários

Basta pesquisar um pouco sobre o assunto “água mineral”, que logo se depara com a enorme quantidade de fontes existentes no Brasil. Além de sermos a principal bacia aquática do planeta, também temos uma infinidade de fontes, termais e medicinais.

A natureza foi generosa no Brasil todo, especialmente na região do sul de Minas Gerais, divisa com São Paulo. Com tantas fontes de águas medicinais que podem ser sulfurosas, alcalinas, carbogasosas (com lítio), ferruginosas… e por aí vai. Cada uma dessas características resulta em benefícios medicinais para o usuário e cura desde psoríase, artrose, problemas hepáticos, cálculos renais e até diabetes.

águas minerais
  • Save

Cachoeira dos Garcias em Caxambu, Minas Gerais. Foto: Divulgação

A maioria ainda conta com uma qualidade de água mineral que só conhecemos pelos rótulos estampados nas garrafas em supermercados.

Infelizmente a nossa cultura e os nossos órgãos de turismo dão um tratamento pouco charmoso para esse setor tão valorizado em outros países. Na França, por exemplo, são famosos os complexos hoteleiros e spas construídos ao redor de fontes como Evian ou Vichy, conhecidas no mundo apenas pelas suas águas minerais.

O Royal Évian (na própria cidade de Évian) e o Vichy Célestins, em Vichy, atraem um turismo internacional de altíssimo nível à procura das águas curativas e do luxo dos seus spas. O respeito às termas de Vichy é tão grande, que virou patrimônio do estado desde Napoleão III, em meados do século 19, quando foi construída a Ópera de Vichy para matar a sede cultural da alta sociedade francesa.

Charmosas, algumas cidades da região abençoada entre Minas Gerais e São Paulo oferecem o que as pessoas mais procuram: saúde. Escolhi três delas, que merecem visita tanto pelas fontes quanto pela beleza da região. Todas ficam até 250 km de São Paulo, perfeitas para um fim de semana.

A começar por Poços de Caldas, que eu conhecia até então apenas pelo requeijão cremoso. Desde o começo do século XX, a cidade era frequentada por figurões da sociedade que vinham curtir os cassinos do Palace Hotel e do Palace Cassino e aproveitavam para relaxar e se curar nas águas sulfurosas bicarbonatadas e alcalinas a 45 graus das Thermas Antônio Carlos.

Ainda dá para sentir que o lugar foi glamouroso. Ali é possível fazer vários tipos de aquaterapias e são muitos os passeios na região, como as lindas quedas d’água da cachoeira Véu das Noivas e o trajeto até a Pedra Balão.

Não longe dali se encontra Águas da Prata. São mais de dez tipos de fontes de águas medicinais nos arredores da pequena cidade de 7500 habitantes. A mais conhecida é a Fonte da Juventude, que por sua alta concentração em bicarbonato resolve dores de estômago e ainda deixa a pele esticada…

Logo após atravessar a fronteira com Minas Gerais está Caxambu, conhecida como o maior complexo hidromineral do mundo (isso mesmo). São 12 fontes de águas minerais gasosas e medicinais que jorram ininterruptamente. E o mais surpreendente é que a água de cada uma delas apresenta propriedades físico-químicas diferentes. Reza a lenda que foi ali que a Princesa Isabel curou sua anemia e finalmente conseguiu engravidar…

Mesmo com redes de hotelaria que poderiam ser melhores, uma viagem por essas cidades é imperdível. Não só pelas águas, mas pela região maravilhosa. E não se esqueçam que em poucos anos a água mineral será um luxo…

Até!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Copy link
Powered by Social Snap