Para evitar os céus da Rússia, companhia aérea Cathay terá voo mais longo do mundo

por | maio 3, 2022 | Aviação, Coluna | 0 Comentários

Oficialmente, a empresa diz estar desviando sua rota por causa dos ventos do Pacífico, mas a verdade é que ela, assim como outras companhias internacionais, quer que seus aviões fiquem longe do espaço aéreo russo.

A companhia aérea Cathay Pacific, de Hong Kong, começou a operar em abril o voo de passageiros mais longo do mundo, entre Nova York e o seu hub principal, no Mar da China Meridional. A rota já existe há anos, mas agora está tendo de fazer um desvio para não sobrevoar a Rússia. Em vez de passar sobre o Ártico, cruzará o Atlântico, a Europa e a Ásia Central para evitar os céus da Rússia.

O novo trajeto tem quase 9 mil milhas náuticas (16.668 quilômetros) percorridas em algo em torno de 17 horas, informou a empresa Anteriormente, essa era uma viagem de 7 mil milhas náuticas (cerca de 12.900 km), percorrida em pouco mais de 13 horas, cruzando a Sibéria e a Groenlândia.

 

Companhia Área Cathay Pacific | Foto Divulgação
  • Save

Companhia Área Cathay Pacific | Foto Divulgação

 

O novo percurso cria o voo mais longo do mundo em distância, embora não em tempo, pois fica ligeiramente abaixo da rota da Singapore Airlines entre a cidade-estado asiática e Nova York, que percorre 15.343 km em 18 horas. O voo da Cathay Pacific é operado por um moderno A350-1000, com capacidade para aproximadamente 330 passageiros distribuídos em três classes.

Assim como a Cathay, várias companhias aéreas cancelaram suas conexões com a Rússia ou evitam seu espaço aéreo desde o início da invasão da Ucrânia. Já o governo de Moscou fechou seus céus para vários países europeus e todos os voos ligados ao Reino Unido.

Oficialmente, a Cathay Pacific alega a opção pelo tráfego transatlântico em virtude dos fortes ventos sazonais no Oceano Pacífico nessa época do ano. Tanto que, no sentido inverso (de Hong Kong para Nova York), o voo continua sendo operado pelo Oceano Pacífico, passando também pelo Canadá e pelo Alasca.

 

Radar

Luxo a bordo
A La Première, o serviço de Primeira Classe da Air France, volta a ser oferecido no Brasil a partir do dia 9 de maio, em três dos 14 voos semanais que conectam São Paulo a Paris. Cada suíte privativa La Première conta com um assento que se transforma em uma cama de mais de dois metros de comprimento, menus assinados por chefs Michelin, vinhos e champanhes da melhor qualidade, entretenimento com telas HD de 24 polegadas e amenities da grife de cosméticos de luxo Carita.

Cordilheira
A Gol adiou mais uma vez o retorno dos voos de São Paulo (Guarulhos) para Santiago. A companhia aérea voltará a operar no país chileno somente no final de outubro. Já a ligação de Brasília com Orlando e Miami será retomada neste mês de maio, respectivamente nos dias 13 e 17. Inicialmente, cada rota terá quatro voos semanais.

Decolagem
Com a retomada gradativa das viagens, graças a certo controle da pandemia, o tráfego aéreo teve forte recuperação em 2021. No ano passado, cerca de 4,5 bilhões de pessoas viajaram de avião pelo mundo todo, representando um aumento de quase 25% em relação a 2020 – mas ainda inferior aos totais de 2019. O Aeroporto de Atlanta, no sul dos Estados Unidos, recuperou o posto de mais movimentado do planeta. Por lá, passaram 75,7 milhões de passageiros em 2021.

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Copy link