fbpx
logo
logo
Com grandes produções, Jesuíta Barbosa é um dos principais talentos de sua geração

Com grandes produções, Jesuíta Barbosa é um dos principais talentos de sua geração

Desde que irrompeu no teatro, no cinema e na TV, há onze anos, ele só tem chamado a atenção. Ano após ano, Jesuíta Barbosa colhe elogios de diretores, cineastas e atores com quem contracena. O jovem de 28 anos que cresceu no sertão de Pernambuco, filho de uma cabeleireira e um bancário, é conhecido por sua grande entrega ao encarnar seus personagens.

Como seu próprio nome deixa antever, Jesuíta cresceu em um ambiente católico. Foi batizado, crismado, fez primeira comunhão e participou de grupos musicais religiosos. Tinha futuro na igreja, não fosse o teatro descoberto na adolescência, que o tomou por inteiro, sem reservas.

Jesuíta Barbosa

Foto: Fabio Audi

Com sua inteligência cênica, hoje ele se multiplica em papéis e cenários diversos. Até o final de outubro de 2019, estrelou o musical “Lazarus”, último trabalho do cantor inglês David Bowie (1947-2016). Também causou como o militar homossexual Fininha em “Tatuagem”, no filme de Hilton Lacerda, atuação que o fez conquistar, com apenas 22 anos, o prêmio de melhor ator nos festivais de Cinema do Rio e de Cinema de Língua Portuguesa, em 2013.

Um ano depois, estreou na TV em “Amores Roubados”, da Globo. E emendou, na mesma emissora, “Rebu” (2014), “Ligações Perigosas”, “Justiça” e “Nada Será Como Antes” (2016), além de “Onde Nascem os Fortes” (2018). No cinema, esteve em grandes produções como “O Grande Circo Místico” (2018), “Malasartes e o Duelo com a Morte” (2017), “Reza a Lenda” (2016), “Praia do Futuro” (2014) e “Serra Pelada” (2013). Em 2019, experimentou ser protagonista da Globo na novela “Verão 90”.

No papo a seguir, Jesuíta fala da sua criação no Nordeste, de como o coletivo cearense As Travestidas expandiu os seus sentidos e a sua consciência como ator e explica por que, em sua opinião, o feminino é a energia mais poderosa do mundo.

Leia a matéria completa em nosso site no Rio.

Amsterdã atrai com sua rica história e atmosfera romântica

Amsterdã atrai com sua rica história e atmosfera romântica

Esqueça as grandes capitais europeias de largas avenidas, como Londres, Berlim ou Roma. Amsterdã não é comparável quando se trata de quilômetros quadrados, mas é um prato cheio para quem quer visitar um centro inspirador e moderno com ares de vilarejo.

Amsterdã

Cidade é conhecida por seus lindos canais. Foto: Getty Images

A cidade dos canais traz a vantagem de que, com um bom par de sapatos, é possível visitá-la a pé, ou, como manda a cultura local, de bicicleta. A mobilidade urbana sustentável se tornou a marca de Amsterdã – desde 1970, o uso da bike é priorizado como política pública, para manter a saúde das pessoas e da cidade. São cerca de 800 mil habitantes, 900 mil bikes e 500 quilômetros de ciclovias. Diariamente, 80% da população se desloca de bicicleta. Um dos exemplos mais promissores do mundo, Amsterdã é silenciosamente tomada pelas magrelas em todos os cantos e ruas.

Bairros descolados

Localização é tudo quando se deseja explorar o melhor que um destino tem a oferecer, ainda mais na capital holandesa. A zona oeste da cidade abriga os bairros descolados e perto do centro, com uma enorme quantidade de lojas, galerias, cafés, restaurantes, mercados e cinemas.

O bairro De Pijp é onde as comidas do momento são encontradas, como o Golden Latte (leite infusionado com cúrcuma e especiarias), e também é o lugar das lojas de departamentos perigosamente boas como a Anna + Nina, onde são vendidas belas jóias artesanais.

Saindo da zona oeste e tomando rumo ao centro da cidade, a Utrechtsestraat é um pequeno pedaço do paraíso das compras. Para os adeptos do veganismo, a Geitenwollenwinkel é ideal, a loja tem roupas e objetos de decoração sustentáveis e sem uso de matéria prima animal. Ainda nessa rua, está a melhor loja de discos, segundo locais e não-locais, a Concerto. Próxima ao bairro, se encontra ainda a famosa Casa de Anne Frank, onde a jovem judia escreveu seu estimado livro.

Entre Rembrandt e Van Gogh

Para os amantes de museus, Amsterdã é um prato cheio. O suntuoso prédio do museu nacional Rijksmuseum, também conhecido como “Het Rijks” (ou O Império, em holandês), não é apenas bonito e impressionante por fora, com seus jardins ao redor, mas obviamente também é incrível por dentro. O museu do ano 1800 abriga milhares de obras-primas, como a famosa “A Ronda Noturna de Rembrandt”, uma das mais célebres da cultura holandesa.

Ao redor do Rijksmuseum, está o Museumplein, ou a praça dos museus, onde também se encontram o Museu Van Gogh, Museu Stedelijk, Museu Moco e o Museu do Diamante. No verão, o gramado é tomado por pessoas em busca de vitamina D em tardes que se estendem até às 21h. Já no inverno, a lagoa da praça congelada se transforma em rinque de patinação. Há ainda o ‘Museumnacht’, evento anual em que mais de 50 museus de Amsterdã abrem suas portas das 19h às 02h, e, em 2020, acontece no dia 7 de novembro.

Diversidade na gastronomia

Ainda que a capital holandesa não seja a mais famosa da Europa nesse quesito, come-se bem no país. Na cozinha do 101 Gowrie, o jovem chef australiano Alex Haupt (de raízes nipo-germânica) apresenta a chamada “nova cozinha holandesa”, com pratos típicos locais de uma maneira renovada e refrescante. Entre as iguarias da casa, o “Potato poffertjes”, panquecas de batata típicas holandesas com ovas defumadas, lagostas de Oosterschelde e a sobremesa de três figos, com a fruta em conserva no vinagre, sorvete e óleo de folhas de figo.

Prato do restaurante Entrepot

Outra dica é o Entrepot, aberto há apenas dois anos, um daqueles restaurantes que você não se lembra de onde ia antes de encontrá-lo. A experiência começa com o ambiente. Revitalizado nos anos 1970, a casa fica em um dos mais de 80 armazéns do século 18, no canal Entrepotdok. Possui alguma restrição alimentar? Confie no chef Arvid Schmidt e nas preparações vegetariana, vegana, sem glúten e sem lactose.

Para bons drinques, que tal bares de vinhos? O Bar Centraal é um match para quem gosta de aproveitar a onda de vinhos naturais que está fluindo pela indústria tradicional da bebida. Para acompanhar, o menu traz sofisticados pratos a preços agradáveis, como a burrata com pera e tâmaras secas e couve-rábano com manteiga, tomilho e cidra.

DJs e celebridades

Drinques não são suficientes, senão acompanhados de música. Corra para o Paradiso, a casa de shows com mais de 50 anos de história, que concorre ao posto de ambiente mais bonito do centro de Amsterdã. Dentro de uma igreja antiga, alguns dos maiores nomes da indústria fonográfica, como The Rolling Stones, Amy Winehouse, David Bowie e Adele, já se apresentaram por lá.

Museu Rijksmuseum, em Amsterdã

Jimmy quem? Jimmy Woo! É um nome conhecido na cena das festas, e uma das poucas boates de Amsterdã com estilo e charme internacionais. Não se surpreenda se esbarrar com algumas supermodelos, DJs famosos ou outras celebridades de classe mundial.

Depois de um dia cheio na cidade, nada mais justo do que uma boa noite de sono. Um hotel belo e provavelmente o mais sustentável de Amsterdã é o Jakarta. Com 200 quartos, o lugar tem o décor feito com materiais sustentáveis e segue políticas de economia de energia, como a coleta de água da chuva para regar o jardim interno e tolerância zero com desperdício.

Ainda que seja uma cidade compacta, o charme e os diversos atrativos de Amsterdã convidam turistas a se encantarem para além dos canais da capital holandesa, com suas centenas de restaurantes, lojas, museus, galerias, lojas e baladas.

Panda Ya conta com sabor especial de gyoza em parceria com a Queijaria Brivido SP

Panda Ya conta com sabor especial de gyoza em parceria com a Queijaria Brivido SP

A guiozaria Panda Ya, em Pinheiros, agora conta com um recheio especial de dupling, feito em parceria com a Queijaria Brivido. A grande novidade da casa é o gyoza de carne de porco laqueada e desfiada com ricota de laranja (R$ 18 – 4 unidades).

Panda Ya

Novo sabor especial de gyoza do Panda Ya. Foto: Gustavo Steffen / Divulgação

O restaurante continuará também oferecendo seus sabores tradicionais, como o Clássico feito com carne de porco, camarão e acelga (R$ 13 – 4 unidades); Wings, gyoza de frango desfiado e com toque apimentado (R$ 13 – 4 unidades); Fréxico de carne de porco com lulas, limão e hibisco (R$ 14 – 4 unidades); o de Frango com Nirá (R$ 13 – 4 unidades) e o Veggie preparado com cogumelos variados e abóbora kabotiã (R$ 15 – 4 unidades).

Panda Ya

Rua Lisboa, 971, Pinheiros, tel. (11) 95588-8181. De domingo a quarta, das 12h às 16h; quinta a sábado, das 12h às 21h.

Chef Renata Vanzetto inaugura o Mé

Chef Renata Vanzetto inaugura o Mé

Terceira casa inaugurada pela chef Renata Vanzetto no Jardins, o Mé é o menor de todos, com apenas 20 lugares. A gastronomia terá influência dos bares de tapas espanhóis.

Prato do restaurante Mé

Bolinhas de queijo cremosas com compota de tomate picante. Foto: Gustavo Steffen / Divulgação

No cardápio do restaurante, aperitivos para comer com as mãos como azeitonas pretas e tremoço com pimenta calabresa (R$ 15) e as ervilhas tortas cruas com molho picante e cítrico (R$ 12) são opções, além das combinações clássicas que acompanham torradinhas como o salmão curado na casa servido com creme azedo e dill (R$ 25). Há uma seção dedicada aos petiscos fritos que traz, dentre as opções, os bolinhos de fideuá de camarão (R$ 25 – 2 unidades), feito do mesmo prato servido no Ema. Tostadas e conservas, como o escabeche de mexilhão e azeitonas verdes inteiras (R$ 38), também compõem o menu.

O grande destaque fica por conta das tábuas como a especial de tainha (R$ 45), servida com filé de tainha defumada mais suas ovas curadas, as bottargas, acompanhada por pão e creme azedo; a tábua de embutidos (R$ 48) que leva salame tipo chorizo extra picante, lombo curado, presunto serrano; e a tábua de queijos (R$ 55) com o Zola Serra das Antas, queijo Tulha, acompanha pão e mel in natura. De sobremesa, chocolates nos mais variados percentuais de cacau.

Rua Bela Cintra, 1.551 – Subsolo – Jardins.

Eugênia Bar apresenta novidades para o verão

Eugênia Bar apresenta novidades para o verão

Para acompanhar o calor do verão que se aproxima, a bartender Paola Menezes, do Eugênia Bar, acaba de criar novos drinques. Intitulada Carta Solar, a mini carta, traz opções de coquetéis leves e refrescantes (R$ 27) e uma jarra (R$ 70), e está dividida entre clássicos e outros releituras com bebidas infusionadas com folhas de sálvia, hortelã e capim santo.

Drink Pôr do sol na jarra. Foto: Gustavo Steffen / Divulgação

Dentre as novidades do bar, o Louise, variação do Moscow Mule, composto por gin infusionado com a flor clitoria ternatea (também conhecida como borboletinha). Outra criação é o Serena, uma adaptação do clássico Collins, que traz gin infusionado com capim santo, limão taiti, xarope de açúcar e água com gás. As novidades seguem com o Quirida, releitura de Daiquiri feito com rum Bacardi Carta Blanca infusionado com hortelã, limão taiti e xarope de açúcar. Vênus, inovação do Fitzgerald, também ganha destaque e é feito com gin infusionado com sálvia, limão siciliano, bitter cítrico artesanal e xarope de açúcar. O Pôr do Sol na jarra, faz sua estreia na carta e pode ser compartilhado com 2 ou 3 pessoas. É feito com gin Pink Beefeater, água tônica, morangos e pepinos (R$ 70).

Eugênia Bar

Rua Cônego Eugênio Leite, 953, Pinheiros, tel. (11) 3064-1352. De terça a sábado, das 19h à 1h.