logo
logo

Horas de voo: número de vítimas em acidentes aéreos cai em 2019

por | fev 19, 2020 | Viagens | 0 Comentários

O número de pessoas mortas em acidentes aéreos caiu mais de 50% em 2019, segundo um relatório elaborado pela consultoria holandesa To70. No ano passado, foram registradas 257 vítimas fatais, contra 534 em 2018. Em 2019 foram computados 86 acidentes, contra 160 acidentes verificados em 2018.

De acordo com o estudo, em 2019 houve apenas um acidente fatal envolvendo um voo comercial para cada 5,6 milhões de voos. Ou seja, a chance de você estar a bordo de um avião que vai se acidentar é menor do que 0,001%. Relaxe e aproveite a sua viagem!

acidentes aéreos

Segurança nos voos aumentou, segundo a consultora holandesa To70. Foto: Unsplash

A redução nessa estatística impressiona ainda mais se levarmos em conta que o número de voos e de pessoas sendo transportadas a cada ano subiu de 2018 para 2019. O estudo inclui passageiros, tripulantes e também pessoas mortas em terra em virtude da queda do avião.

As estatísticas só não foram ainda melhores por causa do segundo desastre envolvendo o recém-lançado Boeing 737 Max. Em outubro de 2018, um Boeing 737 Max operado pela companhia indonésia Lion Air caiu logo após decolar, matando todas as 189 pessoas que estavam a bordo.

Cinco meses depois, em março de 2019, um voo da Ethiopian Airlines caiu em circunstâncias semelhantes, fazendo mais 157 vítimas. Depois dessas duas ocorrências, toda a frota de 737 Max foi proibida de voar pelas autoridades – e essas aeronaves só devem voltar a decolar em junho.

Os 157 mortos do voo 302 da Ethiopian Airlines foram responsáveis por mais da metade do total de vítimas de 2019. A notícia triste é que 2020 já começou com uma terrível tragédia, com um avião da Ukraine Airlines sendo derrubado por engano no Irã e deixando 176 mortos.

Radar

Custo Brasil

Com a alta oferta de promoções das companhias estrangeiras e o fim da Avianca (com consequente redução da concorrência interna), alguns voos domésticos ficaram, em média, bem mais caros do que viagens internacionais neste verão. Segundo levantamento da agência de viagens online ViajaNet, ir de São Paulo a Tel Aviv, custou R$ 1.946, enquanto a viagem a Fernando de Noronha saiu por R$ 2.421. Os voos até o arquipélago têm também preço maior do que valores cobrados para Londres (R$ 2.043), Milão (R$ 1.954), Lima (R$ 2.132) e Buenos Aires (R$ 1.460).

Alfajores mais próximos

O Aeroparque Jorge Newbery, aeroporto bem próximo do Centro de Buenos Aires, voltará a receber voos vindos do Chile, do Uruguai, do Paraguai e do Brasil a partir de maio. O objetivo da medida é desafogar as operações no Aeroporto Internacional de Ezeiza e facilitar a vida dos turistas desses países, que respondem por 60% dos que visitam a Argentina. Fique atento: em breve, Latam, Gol e talvez até a Azul anunciem as mudanças de seus voos.

Do Leme ao Pontal

A Azul, que só passou a voar na Ponte Aérea Congonhas-Santos Dumont a partir de agosto passado, agora se prepara para dominar a ponte Congonhas-Jacarepaguá. É que a empresa desembolsou R$ 123 milhões na compra da Two Flex, que opera seis voos diários nessa ligação “alternativa” entre São Paulo e Rio, com aeronaves Cessna Caravan, além de atender outras 39 cidades.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *