logo
logo

Horas de voo: A maldição das Boeing 737-Max

por | dez 13, 2019 | Congonhas, Viagens | 0 Comentários

Essas duas tragédias aconteceram por causa de uma falha no sistema eletrônico de controle de voo da aeronave e os pilotos não estavam devidamente treinados para lidar com esse tipo de pane.

Desde então, os engenheiros da Boeing tentam sanar essa falha e, após inúmeros adiamentos, o retorno desses aviões aos ares está previsto para março de 2020. Até lá, eles seguirão entulhando os pátios da Boeing (onde acumulam-se 400 unidades prontinhas) e os hangares das empresas aéreas.

Aeronaves Boeing 737-Max nos pátios da empresa. Foto: Divulgação

No Brasil, a Gol possui 7 aeronaves desse modelo e está tendo de operar seus voos “diretos” de Fortaleza para Miami e Orlando com paradas técnicas em Punta Cana, pois os aviões que substituem os Max não têm autonomia para voar sem fazer pit stops. Empresas como United e Southwest cancelam todo dia centenas de voos por causa do veto imposto ao Max.

Imagine se você pagasse milhões por um avião e não pudesse colocá-lo para voar. Já pensou o prejuízo? A American Airlines estima que, até dezembro, terá perdas de US$ 540 milhões com seus 24 aviões aterrados. E a Boeing registrou prejuízo de US$ 3 bi em seu balanço no 3º trimestre deste ano, além de reservar US$ 4,9 bi para compensações que terá que pagar às companhias aéreas pelo atraso nas entregas que estavam programadas.

Nós, passageiros, também somos prejudicados ao voarmos em aviões antigos e mais cheios, enquanto não chegam os equipamentos novos que foram comprados para atender à expansão do número de clientes. Mas não podemos ser condescendentes em questões de segurança, não é mesmo?

Radar

Air Brexit

O IAG (International Airlines Group), que controla a British Airways e a Iberia, fechou acordo para adquirir a espanhola Air Europa por um bilhão de euros (cerca de R$ 4,5 bi). Com seus 66 aviões, a Air Europa oferece voos para 69 destinos, como Salvador, Recife, Fortaleza, Rio e São Paulo a partir de Madri. Uma das justificativas para essa compra é justamente a intenção de elevar a participação do Grupo IAG nas rotas para a América Latina, principalmente depois que a Latam anunciou sua saída da OneWorld (aliança capitaneada pela American e pela British).

Na velocidade da luz

A Air France testou no final de setembro um voo equipado com a tecnologia Li-Fi (Light Fidelity). A empresa está verificando a viabilidade da instalação dessa novidade em outros voos, proporcionando entretenimento de mais qualidade aos passageiros, principalmente os fãs de games. As conexões Li-Fi geram trocas de dados ultra-estáveis, de altíssima velocidade e latência muito baixa.

Direto para o Caribe

No segundo semestre de 2020, a companhia aérea holandesa Fly Caribbean Direct deve lançar voos diretos de São Paulo (GRU) e de Brasília (BSB) para a ilha de Bonaire, no Caribe, com conexões para Aruba, Cancún, Havana e Punta Cana. A rota será operada por um Airbus A320.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *