logo
logo

Novo disco de Ilessi passeia por diferentes estilos e traz composições fortes

por | out 13, 2020 | Entrevista, Música, Pessoas & Ideias | 0 Comentários

Cantora e compositora carioca de nome bonito, Ilessi – que significa “casa do existir” em iorubá (idioma falado em países africanos, como Nigéria) – lança seu primeiro disco autoral, “Dama de Espadas”, neste mês em todas plataformas digitais. A força do trabalho já é perceptível na capa em azul e vermelho, e na mistura de estilos musicais, como blues, bolero e xote. 

FOTO DIVULGAÇÃO | LORENA DINI

“Sou a flor da nova abolição na manhã brasileira”

 

É tudo muito vivo, os gêneros vão se amalgamando, e elementos de diferentes origens vão despertando nas letras, nas memórias, nas melodias”, conta. O novo disco traz composições na maioria de Ilessi e outras com parcerias, como Thiago Amud. “É um músico que me conhece como poucosDevo muito a ele. Ele fez os arranjos e a direção musical do meu segundo álbum, Mundo Afora: Meada, e é o autor de Ladra do Lugar de Falafeita para mim”.  

A música dessa parceria já tem clipe no Youtube e traz elementos visuais e discussões atuais, como a força e luta da população negra. “Sinto que está se abrindo um caminho onde as mulheres negras reconhecem seu pensamento, seu discurso, sua verdade, sua subjetividade, sua criatividade, sua inteligência, sua beleza, com segurança, alegria, altivez e voz”. 

Filha do compositor Gonzaga da Silva, Ilessi cresceu em um ambiente musical, que agora se reflete no domínio de diferentes estéticas e estilos do novo trabalho. “É um disco de uma liberdade muito grande! Em casa todo mundo ouvia música, o tempo todo, eu cantava o tempo todo, especialmente as músicas do meu pai e as coisas que ele ouvia, como Beatles, Elis, Milton, Caetano, Nana e Djavan”.  

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *