logo
logo

Cursos da Perestroika buscam destravar o medo das pessoas e alavancar seus negócios

por | fev 11, 2020 | Educação, Negócios | 0 Comentários

Um verdadeiro hub de empreendedorismo, que é também um centro de educação executiva 2.0, mais moderninho e menos formal. A escola Perestroika é isso e muito mais. De origem gaúcha, ela nasceu com o objetivo de despertar potencialidades nas pessoas, mostrando que a criação de novos negócios, a inovação e a gestão de futuro não são coisas inatingíveis e restritas a um pequeno grupo de líderes.

Perestroika segue a máxima “criatividade para empreender”. Foto: Getty Images

Criada em 2007 por Tiago Mattos e Felipe Anghinoni, em Porto Alegre, a Perestroika (termo que significa “reconstrução” em russo) vem atraindo profissionais de áreas diversas com seus cursos fora da caixa. Segundo Tiago, a meta da escola é ajudar as pessoas a serem mais criativas, subversivas e empreendedoras.

Focando em cinco grandes temáticas – Comunicação, linguagem e expressão; Criatividade & Novas Inteligências; Desenvolvimento Pessoal; Inovação em Gestão de Projetos; e Liderança Criativa –, a Perestroika se orgulha de não ser certificada por órgãos reguladores. “Essa liberdade permite explorar terrenos ainda inabitados, experimentar e lançar outras óticas sob temas mais comuns”, afirma Tiago.

Em uma outra linha, o Sebrae oferece um curso online, gratuito, focado na criatividade. O mote é despertar o potencial criativo e empreendedor, combinando o melhor dos dois mundos e desenvolvendo ideias práticas e inovadoras. As aulas envolvem os meios para evitar o bloqueio da criatividade e as maneiras de reagir diante de uma boa oportunidade de mercado.

Já a Escola Panamericana parte do princípio de que todo mundo é criativo. A partir do momento que nosso cérebro se acostuma a buscar soluções criativas para os problemas cotidianos, elevamos – e muito – as possibilidades de melhorar como profissionais, seja qual for nossa área de atuação. O curso passeia por temas como zona de conforto, desbloqueio, ambiente criativo, pensamento divergente, Brainstorming (teoria de Osborn, conhecida como “Tempestade Cerebral”), incubação e iluminação, entre outros.

Para Renata di Nizo, da Casa da Comunicação, especializada em cursos de criatividade e escrita criativa, quem quer empreender deve aprender a buscar soluções alternativas. “A criatividade é importante no empreendedorismo como ferramenta: pode trazer a inovação.

A escrita criativa, por exemplo, é um grande diferencial na cultura imediatista e digital em que vivemos. Porém, muita gente acha difícil “destravar” as ideias e vê-las se concretizar na tela do computador ou no papel. O primeiro passo é confiar no jorrar de ideias e, ao mesmo tempo, lapidar o diamante bruto da criatividade. Em seguida, você aprende a equilibrar as duas etapas interdependentes: o processo criativo e o processo de revisão.

A prática mostra que as ideias mais férteis nascem justamente do equilíbrio dinâmico: de um lado, a leveza; de outro, a precisão”, explica di Nizo.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *