logo
logo

Oscar 2020 conta com surpresas fora das categorias principais

por | fev 3, 2020 | Cinema, Cultura | 0 Comentários

A pergunta até 9 de fevereiro, dia da 92ª cerimônia do Oscar, é descobrir quais as chances do brasileiro “Democracia em Vertigem” levar o prêmio na categoria Melhor Documentário. Ao que parece, são poucas. O ótimo “For Sama” seria uma barbada. O filme sírio mostra o dia a dia de uma mãe com filho pequeno nos conflitos em Aleppo, durante a Guerra Civil Síria. Não chorar está fora de cogitação.

Cena do documentário “Democracia em Vertigem” da Netflix

Mas suas chances diminuem muito diante de “Indústria Americana”, documentário que traz a reflexão sobre o impacto da tecnologia de empresas chinesas nos Estados Unidos. Bem realizado e com uma visão otimista, é a primeira indicação ao Oscar de um filme da produtora de Michelle e Barack Obama. Isso deve pesar. O filme pode ser visto na Netflix.

Se “Parasita” tem até alguma chance de levar como Melhor Filme, o prêmio de Melhor Filme Internacional parece garantido para essa produção sul-coreana de terror e humor negro. Mas a vitória do impecável espanhol “Dor e Glória” seria justa e uma festa para os fãs de Pedro Almodóvar.

Para Melhor Filme de Animação, resta saber se a Academia terá coragem de peitar os grandes estúdios e premiar o ótimo “Link Perdido”, produção menor sobre a descoberta de um ancestral dos seres humanos. O filme pode desbancar “Como Treinar o Seu Dragão 3” e “Toy Story 4”. Mas surpresa mesmo seria o Oscar ir para o francês “Perdi Meu Corpo”, bizarra animação sobre as aventuras de uma mão decepada! Essa excentricidade também está disponível na Netflix.

A animação “Perdi Meu Corpo” tenta destronar a Disney

Uma irresistível e pouco comentada opção para seis minutos muito fofos é o americano “Hair Love”, que pode levar o Oscar de Curta de Animação. É a história de um pai que tem de pentear o cabelo da filha pela primeira vez. Um filme doce e envolvente, encontrável no YouTube.

E para o Oscar de Melhor Canção, Elton John e Bernie Taupin, que formam uma das parcerias de compositores mais queridas do mundo, escreveram “(I’m Gonna) Love Me Again” especialmente para a cinebiografia “Rocketman”. A Academia não vai deixar de valorizar essa deferência da dupla em compor algo inédito para um filme.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *