logo
logo
Templo budista em Cabreúva é um ótimo lugar para quem busca meditar e contemplar a natureza

Templo budista em Cabreúva é um ótimo lugar para quem busca meditar e contemplar a natureza

Interior de São Paulo é assim: uma hora você está em um aeroporto internacional, com milhares de passageiros se agitando apressadamente, e a poucos quilômetros dali dá para se ver em meio a dezenas de pessoas silenciosamente em paz, meditando em um bonito templo budista.

Essa é a realidade que os visitantes encontram no Centro de Meditação Kadampa Brasil, em Cabreúva, a meia-hora do Aeroporto de Viracopos ou a 80 km de São Paulo. Inaugurado em 2010, o templo é o maior da Tradição Kadampa em todo o mundo. A construção principal tem mais de 3,3 mil metros quadrados e fica em uma propriedade no sopé da Serra do Japi.

Com três estátuas gigantes de Buda no centro, cada uma medindo 2,5 m de altura por 2 m de largura, e outras 14 menores ao redor, o altar é o grande destaque do templo. Nos jardins do templo, as atrações são os três “pagodes” para meditação e contemplação da natureza da região.

A Tradição Kadampa Internacional foi fundada em 1991, pelo venerável Geshe Kelsang Gyatso, que estudou nas universidades monásticas do Tibete, passou 18 anos em retiros de meditação nos Himalaias e, desde 1977, se estabeleceu na Inglaterra. Ano que vem, ele completa 90 anos e, ao longo de sua vida, já lançou 23 livros em que apresenta o Budismo Moderno, uma forma moderna e acessível de compreender as sábias palavras de Buda. Os budistas kadampas são conhecidos por utilizar os ensinamentos com métodos práticos para transformar suas rotinas diárias em um caminho para a iluminação.

O propósito é divulgar a fé budista em todo o mundo e, para isso, possuem, além do templo em Cabreúva, centros de meditação e retiros nos Estados Unidos (em Glen Spey, no Estado de Nova York, e em Williams, próximo ao Parque Nacional do Grand Canyon, no Arizona), na Espanha (em Málaga e na ilha de Menorca), no Reino Unido (em Ulverson), na Suíça (em Valais) e em Portugal (nos arredores de Sintra).

A hora e vez das carnes premium

A hora e vez das carnes premium

À medida que as pessoas exigem steaks de melhor qualidade, novas marcas e açougues-boutique se multiplicam pela cidade

O veganismo e as segundas-feiras sem carne estão cada vez mais populares, mas de terça a domingo não tem para ninguém: todo mundo quer carne. O fato é que carne é um alimento que segue sendo consumido vorazmente pelos brasileiros, mas nos últimos anos tem sido possível notar que muita gente está deixando de lado a carne vermelha em várias refeições para consumi-la apenas em ocasiões especiais. E, como algo especial, cada vez mais as pessoas exigem um produto de boa qualidade.

Assim como ocorreu com os vinhos, com os cafés, com os pães e com os chocolates, o mundo refinou seu paladar para as carnes. Aquele churrascão duro, nervoso e assado de qualquer jeito não tem a mesma aceitação de outros tempos. Hoje, a carne e os profissionais que preparam esse nobre alimento são as estrelas de programas da TV, de competições internacionais e de festas badaladas que atraem milhares de fãs, entusiastas e curiosos. Exemplos disso são os reality-shows “BBQ Brasil” (exibido pelo SBT) e “Gigantes do Churrasco” (do canal por assinatura Food Network), os concursos Pitmasters Brasil e o Circuito Brasileiro de Churrasco ou ainda os festivais Carnivoria, Churrascada e Meet Fire.

 

UM DOS AMBIENTES DA RECÉM-INAUGURADA FAZENDA CHURRASCADA, NO MORUMBI

 

O vencedor do Pitmasters Brasil, realizado em novembro do ano passado, garantiu à equipe Churras De Patrão uma vaga na final mundial, realizada na Austrália. Responsável por trazer o campeonato para o Brasil, Daniel Lee é também o primeiro juiz brasileiro a integrar a Kansas City Barbecue Society (maior entidade internacional de churrasco) e o dono do restaurante Bark&Crust. Instalada em Pinheiros, a casa é especializada em carnes preparadas no estilo norte-americano (que deixa nas carnes aquele bonito halo de defumação conhecido como “bark”) e à moda sul-americana (que forma aquela deliciosa crostinha tostada, conhecida como “crust”). “A maioria dos pedidos aqui é para os cortes tipo BBQ, mas a clientela também ama o autêntico churrasco brasileiro. São duas coisas bem diferentes e percebo que, a cada dia, mais pessoas estão aprendendo isso”, diz.

Para quem não está ligando o nome à pessoa, o american barbecue é preparado no forno tipo pit, que deixa a carne extramacia, com um sabor defumado e em geral incrementada com molhos e rubs bem condimentados. Já o sul-americano é aquele que conhecemos de longa data, temperado apenas com sal e, eventualmente, alguma erva aromática.

 

O EXPERT EM AMERICAN BARBECUE DANIEL LEE, DONO DO RESTAURANTE BARK&CRUST, NO BAIRRO DE PINHEIROS

 

Em eventos como o Carnivoria, o Churrascada e o Meet Fire, os assadores também trabalham com as duas variedades. O Churrascada, um dos mais tradicionais, já passou por cidades como São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Goiânia, Porto Alegre, Barretos e Ribeirão Preto, além de duas edições especiais na Irlanda e na Bélgica. Já contou com a participação de mais de 100 assadores e chegou a reunir mais de 30 mil pessoas em uma única festa.

Com suas atividades paralisadas por causa da pandemia, em agosto os sócios do evento itinerante Churrascada abriram um endereço fixo em um casarão no Morumbi, instalado em um terreno com mais de 8 mil m2. Atendendo a todos os novos protocolos de distanciamento e higiene, a Fazenda Churrascada é um espaço para passar o dia comendo, bebendo e se divertindo. Não por acaso, já foi carinhosamente apelidado de “Disney do Churrasco”. Tem parrilla, fogo de chão, pit e varal de carnes, além de um açougue-boutique.

O cardápio é assinado pela churrasqueira e consultora Paula Labaki e executado por Renata Raikov, com cortes tradicionais e criações exclusivas, como os bolinhos de costela defumada, a barriga suína pururucada com molho barbecue de Bourbon, além de brisket e costela fogo de chão. “A ideia aqui é fazer um resgate da atmosfera das fazendas, oferecer às pessoas uma experiência rústica e gastronômica em torno da carne num local arborizado e amplo, com capacidade para 200 pessoas. Temos horta orgânica e área kids com tirolesa, cama elástica gigante e parede de escalada”, conta Felipe Aversa, um dos fundadores do evento.

Na Fazenda Churrascada, as carnes têm a grife 481 – marca da Prime Cater fundada em 2012 e especializada na produção de cortes premium, incluindo o bife ancho de wagyu – raça japonesa extremamente macia em razão de seu alto teor de gordura entremeada. Assim como a 481, outras marcas premium surgiram recentemente, com cortes selecionados e obtidos a partir de gado de raças melhoradas, criado em bons pastos e processado em frigoríficos certificados. Exemplos disso são a VPJ (há 30 anos trabalhando com gado da raça britânica Aberdeen Angus) e a Beef Passion (famosa por sua produção sustentável, a partir de matrizes das raças Angus e Wagyu), que fornecem seus produtos para os melhores restaurantes e mercados gourmet do país.

 

GRELHADO SERVIDO NA FAZENDA CHURRASCADA

 

De olho nesse mercado, até os gigantes da produção de proteína animal do país resolveram investir em marcas mais exclusivas. Assim nasceram a Swift Black (da JBS), a Estância 82 (da Minerva) e a Bassi (adquirida pela Marfrig). E, no varejo, alguns açougues-boutique vem conquistando uma clientela cada vez mais exigente, com mais conhecimento e mais atenta às características e aos detalhes da procedência de cada corte.

Um dos melhores exemplos desse segmento é o Feed, no Itaim, que foi inaugurado em 2014 por Pedro Merola. Criador de gado da raça Bonsmara em Goiás, ele é um dos raros empresários que controlam toda a cadeia, do campo à prateleira. Os preços da loja são menores do que o ambiente elegante e a qualidade da carne fazem supor. Na loja, não existe carne de segunda – até os cortes do dianteiro são suculentos, tenros e saborosos. Prova disso é o espetacular flat iron, até recentemente desprezado e hoje na lista dos mais cobiçados.

 

O SALÃO DO FEED

 

Outras excelentes boutiques de carne, especializadas em cortes dry aged – maturadas a frio – são a BBQ Company (com uma bonita loja no coração dos Jardins) e a DeBetti Special Meat (que funciona numa escondida ruela do bairro de Cidade Jardim).

Para quem prefere comprar online, vale a pena explorar as sugestões de dois negócios cuja estrutura é quase toda digital. O primeiro é o Natural Meat (www.naturalmeat.com.br), um e-commerce que também funciona como clube de assinaturas mensais, com a entrega de carnes sem conservantes, hormônios e amaciantes. Os produtos já vêm limpos e porcionados, e os pedidos devem ser feitos pelo aplicativo da marca. O outro é a Cór Butcher House, o açougue virtual do restaurante Cór, no Alto de Pinheiros, comandado pelo premiado chef peruano Renzo Garibaldi, dono do estrelado Osso, de Lima.

 

O PRIME RIB MATURADO DA CÓR BUTCHER HOUSE

 

Por fim, outro negócio online que todo bom meat lover precisa ter em seu radar é o Açougue Central, que pertence ao premiado Alex Atala. Já que agora a carne é como o arroz – um alimento que tradicionalmente faz parte da nossa dieta, mas cada vez mais figura como um item especial – vale a pena apostar em grelhados preparados com um toque de chef. Atendendo apenas pedidos feitos por meio do aplicativo iFood, o Açougue Central tem como destaques de seu cardápio o shoulder com abacaxi grelhado, o bife ancho com purê de batatas, o bombom de alcatra com farofa de alho ou ainda o bife de chorizo com mandioca frita e arroz biro-biro.


 

CADERNETA BÁSICA DO CARNÍVORO:

Fazenda Churrascada: Avenida Morumbi, 5.594. Reservas pelo app Tagme.
Bark&Crust: Rua Artur de Azevedo, 657, Pinheiros, tel. 2649-0950.
481:Tel. 97380-0481. www.emporio481.com.br
Beef Passion:Rua Barão de Tatuí, 229, Santa Cecília, tel. 3661-8090.
VPJ: Tel. 3611-0006. www.vpjalimentos.com.br
Feed: Rua Dr. Mário Ferraz, 547, Itaim, tel. 5627-4700.
BBQ Company: Rua Bela Cintra, 1.737, Jardins, tel. 3063-4320.
De Betti Special Meat:Rua Curumins, 11, Cidade Jardim, tel. 3164-2264.
Natural Meat: Whatsapp 97600-8329. www.naturalmeat.com.br
Cór Butcher House: Praça São Marcos, 825, Alto de Pinheiros, whatsapp. 94447-1333.

Viagens de isolamento sem estresse

Viagens de isolamento sem estresse

Hotéis no campo e na praia se abrem para famílias interessadas em cumprir a quarentena de uma forma mais ‘relax’, unindo comodidade e diversão longe do estresse.

 

FOTO GETTY IMAGES

 

Enquanto a vacina não chega, as empresas ainda recomendam o trabalho remoto para muitos de seus executivos e as escolas não estão 100% prontas para oferecer aulas presenciais às crianças, então muitas famílias estão unindo o útil ao agradável e cumprindo o isolamento social em hotéis e resorts.

Em grandes centros urbanos, como São Paulo e Rio de Janeiro, os hotéis convertem quartos em escritórios e oferecem o serviço de “room office” para quem quiser se isolar para trabalhar com toda comodidade. Nos estabelecimentos à beira do mar e no interior, mais em contato com a natureza, a tendência dos quarenteners foi rebatizada como “resort office”.

TIROLESA DO VILLA ROSSA, EM SÃO ROQUE

Depois de meses trancados em casa, estressados, cansados de encarar os trabalhos domésticos e de descontrair apenas com diversão via TV ou computador, as pessoas estão saindo da toca e – com todo o cuidado que o momento exige – aproveitando a baixa ocupação e as vantagens oferecidas por hotéis-fazenda e balneários que funcionam não muito longe de seu lar.

Com um wi-fi bom, tanto faz se você está trabalhando na biblioteca da sua casa ou na varanda do seu quarto de hotel, com vista para uma paisagem inspiradora ou a poucos metros da areia da praia. O importante é que você esteja conectado e bem de saúde. E hospedar-se com a família longe de casa tem ainda outras várias vantagens. Em grande parte dos prédios, muitas piscinas, academias e demais áreas comuns ainda estão interditadas ou com uso limitado. Nos hotéis e resorts, essas atrações estão abertas e funcionando com todos os protocolos sanitários apropriados. Além disso, no hotel você não tem que cuidar da limpeza e da arrumação do seu apartamento, não precisa cozinhar e nem lavar louça. Todas essas tarefas são executadas por um staff devidamente paramentado e respeitando as medidas de descontaminação mais adequadas.

O CAPRICHADO CAFÉ DA MANHÃ DO VILA INGLESA

E, enquanto os pais trabalham – cada um em um ambiente, sem ter de dividir o mesmo espaço – a garotada gasta suas energias, se diverte e é cuidada por uma equipe de monitores treinados para evitar atividades com contato físico. Quando o horário de trabalho termina, a família pode se reunir para nadar, brincar, praticar esporte ou simplesmente descansar. O estresse do confinamento é minimizado, todo mundo fica mais descontraído o e a confraternização com a família flui de uma forma mais agradável.

“Muitos resorts estão faturando com essa nova oportunidade que surgiu por causa da pandemia. Durante a semana, as tarifas estão, em média, 40% inferiores daquele valor que era cobrado em setembro do ano passado. Nos fins de semana [de sexta a domingo], a queda nos preços é um pouco menor, de cerca de 25%”, avalia Marcos Destro, que possui 28 anos de experiência de Viagens Corporativas. Ele avisa que, para longas estadias, de 15 ou 20 dias, é possível conseguir condições ainda mais vantajosas em vários hotéis, mas para isso é fundamental a participação de uma agência. “Aqui na Líder Corp, fazemos negociações desse tipo todo dia. Sempre buscamos tarifas que sejam razoáveis para o hotel e para nossos clientes”, explica. Para contatar a Líder Corp, acesse http://www.lidercorp.com.br/.

No estado de São Paulo, a agência trabalha com resorts como o Villa Rossa (de São Roque), o Hotel-Fazenda Mazzaropi (Taubaté), o Sofitel Jequitimar (Guarujá), o Mavsa Resort (Cesário Lange), o Hotel Vila Inglesa (Campos do Jordão), o Eco Resort Refúgio Cheiro de Mato (Mairiporã), o Hotel Resort Recanto do Teixeira (Nazaré Paulista), o Villa Santo Agostinho (Bragança Paulista) e o Bourbon Resort e o Tauá Hotel – ambos em Atibaia. Em Minas Gerais, fica outra unidade da rede Tauá, o Tauá Grande Hotel Termas, de Araxá.

RECREADOR DO TAUÁ ATIBAIA APLICANDO ALCOOL EM GEL NUMA CRIANÇA

Por falar nos hotéis da rede Tauá, o de Atibaia acaba de instalar em suas tubulações de ar-condicionado um sistema de purificação de ar com tecnologia Photohydroionization, que utiliza luz ultra-violeta para eliminar bactérias, vírus, fungos. Além disso, todos os quartos são desinfectados com ozônio ao serem desocupados. No Mavsa Resort, mesmo não sendo na beira do mar, tem a água como destaque. Além de toboáguas e piscinas (uma aquecida), tem um lago para stand up paddle, passeios de caiaque ou pedalinho e até pescaria. Já no Sofitel Jequitimar, a grande atração para a garotada é a Praia de Pernambuco, a poucos metros dos apartamentos. Para os adultos, tem ainda três bares, sauna e salas de reuniões de todos os tamanhos.

SALA ÁREA COMUM DO HOTEL-FAZENDA MAZZAROPI

Para quem prefere o ar da montanha, as dicas são o Hotel Vila Inglesa e o Villa Rossa. Instalado em uma das vizinhanças com natureza mais exuberante de Campos do Jordão, o Vila Inglesa tem gastronomia caprichada para os adultos e bikes, circuito de arvorismo e oficina de artes para as crianças. Já o Villa Rossa, em São Roque, tem casinhas de campo privativas com piscina e lareira, e uma equipe de recreação sempre a postos, com brincadeiras, parede de escalada e tirolesa para a criançada se jogar, literalmente.

Por fim, no Mazzaropi, eleito por oito vezes o melhor hotel-fazenda do país, a criançada tem quatro piscinas e atividades rurais para se entreter, como curral para tirar leite de vaca e cavalos para passeios pela região.

 

Conheça o Spa Azahar, considerado o melhor de Campinas

Conheça o Spa Azahar, considerado o melhor de Campinas

Com mais de 1,2 milhão de habitantes, Campinas é uma cidade muito agitada. Para fazer uma pausa nessa correria, a solução é se refugiar em de seus spas. No bairro de Cambuí, funciona desde 2012 o Azahar, eleito pelos usuários do site TripAdvisor um dos cinco melhores do estado de São Paulo.

O espaço surgiu por iniciativa das irmãs Olivia e Marina Vogler Hermógenes, que uniram seus conhecimentos para criar o formato do negócio. Olívia é fisioterapeuta e Marina é naturóloga. Quando estudou Fitoterapia em Barcelona, teve contato com os hammans introduzidos na Catalunha pelos invasores mouros. Para quem não sabe, hammam é aquele ritual que inclui sauna, esfoliação e hidratação que é muito popular em todos os países banhados pelo Mediterrâneo, incluindo o norte da África, o sul da Europa e o Oriente Médio.

O hammam, a propósito, é o grande destaque do spa Azahar. Em uma grande sala com banheiras de hidromassagem, sauna a vapor, duchas e duas macas de ardósia, as terapeutas indicam e comandam as várias etapas do ritual. Após meia hora intercalando minutos no vapor e nas banheiras, o corpo inteiro do cliente é envolvido por uma delicada nuvem de espuma com fragrância de alecrim, laranja e lavanda, para depois passar por uma vigorosa esfoliação. Depois de uma ducha que cai do teto, é feita uma hidratação profunda com óleos essenciais e, em seguida, uma massagem ultra-relaxante de 30 ou 60 minutos para finalizar o circuito.

O rito completo, com massagem de 60 minutos e duração total de duas horas, custa R$ 480 e, além de deixar a pele sedosa e perfumada, renova as energias, deixando a clientela pronta para retornar à roda-viva do mundo exterior. “Temos todo um menu de terapias e tratamentos estéticos aqui no nosso spa, que é um local inteiramente dedicado à purificação do corpo e da mente, mas o nosso grande diferencial é esse ritual do hammam, cujos protocolos foram concebidos por mim e por minha irmã seguindo as tradições de Marrakech, Istambul, Atenas e Beirute”, explica Olívia.

Em árabe, Azahar significa flor branca de laranjeira, e esse elemento aparece não só na logomarca do spa, como também nos produtos utilizados nos banhos e nas massagens – em sua maioria veganos e orgânicos. Os ambientes do spa, decorados com muito bom gosto, incluem 15 salas de atendimento – sendo quatro bangalôs na área externa, em meio a um minipomar de jabuticabeiras. O spa oferece o ritual do hammam para atendimentos individuais, para casais e para grupos de até seis pessoas. “Temos muitas clientes que sempre vêm juntas, para fazer uma relaxante happy hour, regada a muito chá e frutas secas”, finaliza a simpática Olívia.

Azahar Spa: Rua Antônio Lapa, 202, Cambuí, Campinas, telefone/WhatsApp (19) 98286-0442.

Nuvens de gafanhotos podem causar grandes prejuízos também ao Brasil

Nuvens de gafanhotos podem causar grandes prejuízos também ao Brasil

Nuvens de gafanhotos que destroem pastagens e plantações no Paraguai e na Argentina podem causar grandes prejuízos também ao Brasil

Desde a Antiguidade, gafanhotos devastam plantações. Eles eram a 8ª praga do Egito. Por aqui, os primeiros registros datam do século 19, quando o céu de Santa Maria (RS) escureceu por causa de uma densa nuvem de insetos.

Gafanhotos da espécie “Schistocerca cancellata” normalmente vivem solitários, mas por causa de alterações climáticas na temperatura e na umidade, podem mudar para um comportamento gregário e passam a se reproduzir freneticamente. Para piorar, ficam com um apetite insaciável e devoram o que aparecer pela frente. A explosão populacional acontece também porque a agricultura e a destruição de ecossistemas eliminam sapos e pequenos pássaros, que são os predadores naturais desses insetos.

Esse fenômeno agora vem sendo observado novamente no Paraguai e na Argentina. A praga está destruindo pastagens e plantações de trigo, soja, milho e sorgo. Se não for contida, pode invadir o Uruguai e o sul do Brasil.

 

 

Em 1 km de “nuvem”, pode haver 40 milhões de gafanhotos, capazes de consumir diariamente o mesmo que 2 mil vacas ou 35 mil pessoas. As autoridades argentinas, paraguaias, uruguaias e brasileiras já decretaram situação de emergência, mas o descontrole é tamanho que não adianta pulverizar toneladas de inseticidas de alta toxicidade.

A “sorte” é que as frentes frias estão contendo a formação de novas nuvens e o deslocamento das já existentes. Para o futuro, o importante é fazer um planejamento integrado com várias providências: arar as áreas onde os últimos enxames fizeram a postura de ovos para deixá-los expostos ao sol até ressecarem; inocular fungos nas populações de gafanhotos para gerar entre eles uma “pandemia” de doença letal; aplicar pesticidas naturais que não ameacem os humanos; e recuperar a fauna de aves e batráquios que podem ajudar no controle dessa praga. Não vai ser fácil, mas não há outra saída…


 

Roça News

Bumba meu boi
Desde 2014, o Brasil é o maior exportador de carne bovina do planeta, com 1,9 milhão de toneladas vendidas em 2019, contra 1,4 milhão dos Estados Unidos e 1,3 milhão da Austrália. Se as taxas de crescimento da pecuária desses países mantiverem o ritmo atual, em 2025 o Brasil será também o maior produtor mundial de carne, ultrapassando os EUA. Entre 2004 e 2019, a produção brasileira saltou de 8 para 10 milhões de toneladas, e a dos Estados Unidos passou de 11 para pouco mais de 12 milhões de toneladas.

Doce recorde
A safra 2020/2021 de cana-de-açúcar no Brasil deve ser 0,1% menor do que a do ano passado. Mas a produção de açúcar deve bater um recorde, com 39,3 milhões de toneladas, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Esse resultado foi impulsionado pela queda na oferta mundial com as adversidades climáticas que afetaram produtores da Ásia. Além disso, o consumo de etanol no Brasil caiu no 1º semestre devido à menor mobilidade da população em razão da pandemia. Com isso, mais cana virou açúcar e menos foi usada para gerar etanol.

Mozart na pocilga
No Rio Grande do Sul e no Paraná, suinocultores estão tocando música clássica na hora de alimentar os animais. Vários estudos atestam a eficácia dessa tática. Um deles foi conduzido pela Faculdade de Zootecnia da USP, que verificou que o “enriquecimento sensorial do ambiente” reduz o comportamento agressivo dos porcos e ajuda a obter altas taxas de engorda com baixo consumo de ração.